sábado, 16 de setembro de 2017

Fortaleza: e o inferno de oito anos na Série C do Brasileirão


       Bom dia, Boa tarde, Boa noite! Meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza chegamos a sua casa, com o FutCearaCast. Um podcast que fala de futebol, de história, de notícias dos clubes, de entrevistas e demais curiosidades do futebol cearense.
       Enquanto você ouve esse podcast, o Leão está em mais uma tentativa de sair da Série C e chegar a Série B. Foi em 2009, quando o Vasco foi campeão, o Ceará subiu para Série A e Elton (Vasco da Gama), que hoje está no vozão foi artilheiro com 17 gols, ao lado de Marcelo Nicácio que jogava no Fortaleza e hoje está no Icasa. No dia 27/11/2009, o tricolor do Pici empatou em 1 x 1 com o Paraná e com 38 pontos em 18° lugar foi rebaixado. Hoje veremos esses anos do Fortaleza no “inferno” da Série C.

       Em 2010, o Fortaleza seria Tetra campeão cearense, ao vencer nos pênaltis o maior rival. O que parecia uma motivação para que a campanha na Série C fosse boa e viesse o retorno para a Série B, foi um primeiro ano de uma sequencia de anos de tormentos.
            O Leão estava no Grupo B e logo na estréia, empatou em 0 x 0 em casa contra o Águia de Marabá, apesar de vencer o São Raimundo (PA), duas vezes por 3 x 2 e 2 x 1, mas não foi suficiente e o time cearense terminaria sua participação em  terceiro lugar no Grupo A, com 12 pontos igual ao Águia, mas com uma vitória a menos. O ABC acabou se sagrando campeão e subiu para a Série B, com Ituiutaba, Criciúma (SC) e Salgueiro.

            
            Em 2011, o Fortaleza estava no Grupo B, ao lado de América (RN), CRB, Guarany de Sobral e Campinense (PB). O time da capital alencarina, mais uma vez não passou da primeira fase. Na estréia a derrota foi diante do CRB, depois em casa, foi vencido pelo América por 3 x 1.Sua vitória só veio na quarta rodada, quando venceu por 3 x 1 o Guarany, com gols de Esley, Carlinhos Bala e Guto. Mas o jogo mais polêmico foi na última rodada, quando a equipe do Ceará estava necessitando da vitória para não ser rebaixado para a quarta divisão e foi assim, com o jogo suspeitíssimo venceu por 4 x 0, o CRB, com gols de Vavá duas vezes, Gustavo Papa e Marcos Goiano.
                     E o Bem Amigos com Galvão Beno foi dedicado a falar sobre a suspeita de o CRB ter deixado o Fortaleza fazer gols.
         

            No ano de 2012, o Oeste, foi o campeão, o Icasa, o segundo e subiu de divisão, junto com Chapecoense e Paysandu.
            Na primeira fase, no Grupo A, o Fortaleza foi superior aos seus adversários e com 39 pontos se classificou fácil. Entre as principais vitórias está a de 2 x 0 diante do Santa Cruz por 2 x 0, na sétima rodada, com gols de Rafinha e Waldison e 4 x 1 sobre o Guarany de Sobral, com gols de Geraldo, Waldison, Jaílson e Guto. E o 3 x 0 sobre o Cuiabá.
            Classificado o Leão enfrentaria pela primeira vez o tormento de um mata-mata, na primeira partida fora de casa, o jogo foi 1 x 1. Mas em casa, diante de 20 mil pessoas no Estádio Presidente Vargas. O Fortaleza escalado com Lopes, Micão, Ciro Sena e Cléber Carioca, Rafinha, Élton, Esley, Geraldo e Guto, Waldison e Assiszinho. O técnico era Vica. E a derrota foi de 3 x 1 e a primeira eliminação na Série C, na segunda fase.
           

            Em 2013, o Santa Cruz foi campeão da Série C e levou junto para a divisão superior, o Sampaio Correia, Luverdense e Vila Nova. O Fortaleza até que tentou, mas não passou da primeira fase, terminou em 5° lugar com 32 pontos no Grupo A. A estréia até que foi bonita venceu o Baraúnas fora de casa, por 4 x 1, dois gols de Assiszinho e Jaílson e depois na terceira rodada ganhou do CRB por 3 x 0. Com uma campanha irregular, a decisão da vaga teve que ser decidida na última rodada.
            No dia 13 de outubro de 2013, 57 mil pessoas lotaram a Arena Castelão e a equipe comandada por Luiz Carlos Martins estava escalada com Flávio, Eduardo Luiz, Fabrício, Charles e Marinho Dozinete, Esley, Jackson Caucaia (hoje no Ceará), Assiszinho e Waldison e Robert. Quem diria que depois de vencer de 2 x 0, com gols de Waldison e Guaru, aos 32 minutos do segundo tempo, Arlindo Maracanã diminuiu e  Paulo Sérgio, aos 47m finais empatou e eliminou o Leão.
    

            Ano de 2014, o Brasil amargou o quarto lugar na Copa do Mundo em casa e uma goleada de 7 x 1 para a campeã Alemanha. O Fortaleza perdeu a final do Campeonato Cearense para o seu principal rival.
            Na Série C, o sofrimento continuou. Macaé campeão, com Paysandu, Mogi Mirim e CRB, na sequencia. Com uma primeira fase impecável, o tricolor de aço terminou em primeiro lugar, com 35 pontos e vitórias importantes como contra o Salgueiro fora de casa, 1 x 0, gol de Robert. e 3 x 1 também fora contra o ASA.
            No mata-mata mais uma vez, o Fortaleza empatou fora de casa, 0 x 0 e foi decidir em casa com o Macaé, na Arena Castelão diante de 62 mil pessoas, comandado por Marcelo Chamusca (hoje no Ceará), a equipe estava escalada com Ricardo, Tiago Cametá, Genilson, Adalberto, Fernandinho, Walfrido, Corrêa, Marcelinho Paraíba, Ricardo, Robert e Waldison.Jubá fez para a equipe carioca, aos 46° do 1° tempo, Waldison empatou para o Leão aos 36° do segundo tempo, mas não foi suficiente mais uma eliminação.
                   Vila Nova, Londrina, Tupi e Brasil de Pelotas subiram para a Série B. Ano de 2015, mais uma página da luta do Leão pelo acesso, sexta tentativa. E de novo uma primeira fase no Grupo B, com liderança com 36 pontos e vitórias importantes. 2 x 0 sobre o Icasa em Juazeiro, gols Rodrigo Almeida e Aldaberto e 3 x 0 sobre o Botafogo (PB), gol de André Lima, Maranhão e Everton.
            No jogo de ida, o Brasil de Pelotas venceu por 1 x 0. Na volta diante de 63 mil pessoas, um zero a zero teimoso e mais uma eliminação em casa. Com Marcelo Chamusca de novo no comando.

                       Ano passado, 2016, houve o golpe que parou o Brasil e tirou uma presidente eleita do poder, por uma quadrilha, segundo o Ministério Público, que acusou Temer, como chefe de uma organização criminosa que fez o processo para tirar Dilma, como uma forma de barrar a justiça.
            Não foi surpresa novamente o que aconteceu com o Fortaleza. Uma novela que se repetiu seguidamente por sete anos e que contra o Tupi (MG) em 2017 se queria diferente, mas isso é assunto para outro podcast. Agora vamos para a Série C de 2016, que teve o Boa Esporte (MG), como campeão, seguido de ABC, Guarani e Juventude.
            Seria mais uma liderança, no Grupo A, com 30 pontos e vitórias de 2 x 0 sobre o Confiança fora de casa, com gols de Anselmo e 3 x 0 sobre o América (RN), também fora de casa, gols de Daniel Sobralense, Edimar e Anselmo. Teve um 4 x 1 sobre o Remo, vitória convincente, gols de Daniel Sobralense, Rodrigo Andrade, Corrêa e Juninho.
            De novo, 0 x 0 fora de casa e em casa, 1 x 1, com gol de Pio de falta, que parecia que poderia haver a virada, mas não deu. Diante de novo de 63 mil pessoas, parece uma série do SBT, se repete sempre, mais uma eliminação. Teve muita quebradeira de cadeiras esses anos.

            Foram anos que Jorge Mota, Renan Vieira e tantos outros diretores passaram pelo Leão e não tiveram êxito em levar o tricolor a Série B.
       
            Como eu disse enquanto eu gravo esse podcast e coloco no ar, o Leão decide com o Tupi (MG) sua vida na Série C, 2017 dessa vez joga primeiro em casa e depois decide fora. Quando você ouvir esse programa seu tricolor já pode está até comemorando ou não. Esperamos que sim.
            Narração e edição: Carlinhos Alves, agradecimento a sua audiência e sua sintonia, abraço.
           
           
Fonte:
           

           






Postar um comentário