domingo, 13 de agosto de 2017

Carlos Fred, o mito


Bom dia, Boa tarde, Boa noite! Meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza chegamos a sua casa, com o FutCearaCast. Um podcast que fala de futebol, de história, de notícias dos clubes, de entrevistas e demais curiosidades do futebol cearense.

       Ele era torcedor do Fortaleza e daí. Ele narrava com vibração o gol do Ceará, do Ferroviário, do Guarany de Sobral. Sabia reconhecer quando o clube estava jogando bem e principalmente jogando mal, podia ser o seu leão do Pici, ou o Flamengo do Rio de Janeiro, Carlos Fred era assim bem realista sem medo de dizer à verdade que via através dos seus olhos.
       O dia era 17 de outubro de 2016, vítima de um infarto, numa manhã de segunda-feira foi embora uma das vozes mais irreverentes do rádio esportivo cearense, que estava trabalhando em uma equipe nova, com Jussie Cunha no comando, ele tinha uma participação nos comentários na Tribuna Band News, a rádio FM 101,7, que em 20 minutos tudo pode mudar. E mudou mesmo, o narrador Carlos Fred, com experiência em quatro Copas do Mundo (1986, 1990, 1994 e 1998). Tinha 45 anos de carreira, passou pela Ceará Rádio Club e seu auge concerteza foi na equipe da Rádio Verdes Mares 810, comandada por Gomes Farias.
           
            Carlos Frederico Costa, Carlos Fred, do bordão “a bola corre com o tempo” nasceu em 1951, ano do Coelho, no calendário chinês. Foi um período de intensa imigração para o sudeste devido a seca que durou até 1953. Ano que Getúlio Vargas assumiu a presidência da República.
            O Mito começou em 1969 na Rádio Dragão do Mar, passou pela Rádio Uirapuru, foi comentarista da TV Diário. Sobre sua saída do emissora do Grupo Edson Queiroz ele comentou nesse vídeo      ;
                        Esse para mim junto com Júlio Sales, Gomes Farias e Tom Barros, foram os melhores narradores de uma geração que ouvia sempre. Hoje temos Irismar França, Antero Neto, Kaio Cezar, Bosco Farias, J. Rômulo.
            Eu escutava nos últimos anos o Fred na FM Fortaleza, da Câmara Municipal de Fortaleza, comentando uma hora seguida nas manhãs de segunda à sexta-feira, no gogó sem intervalo, um comentário preciso. Ele não se importava em afirmar ser tricolor de aço, mas tratava o Ceará sua torcida com todo respeito. Por isso eu afirmo como é importante assumir o clube que torce do que ficar escondendo e no fim comenta puxando o saco e agente vendo, que certo narrador ou comentarista torce determinado clube.
           
            Exemplos têm de sobra de gente que não se assume. Para mim, o comentarista Wilton Bezerra torce Fortaleza, mas não se assumi. Como Jussie Cunha, que torce leão também e não assume nos microfones. Já J. Rômulo assume ser Ceará. Seria assunto para outro programa. Hoje quero homenagear esse grande narrador Carlos Fred, que deixa triste a sua partida, mesmo com 65 anos, ainda tinha muito a contribuir com o desporto cearense.
            Narração e edição: Carlinhos Alves, agradecimento a sua audiência e sua sintonia, abraço.
           
           
Fonte:
            Wikipédia: https://pt.wikipedia.org/wiki/1951







           
           















Postar um comentário