domingo, 12 de fevereiro de 2017

Ceará: Vice campeão Copa do Brasil 1994


Bom dia, Boa tarde, Boa noite! Meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza chegamos a sua casa, com o FutCearaCast. Um podcast que fala de futebol, de história, de notícias dos clubes, de entrevistas e demais curiosidades do futebol cearense.
Hoje vamos contar a campanha emocionante do vice campeonato do Ceará na Copa do Brasil de 1994.

Foram 32 equipes participantes, com 149 gols, em 62 partidas com média de 2,4 gols por partida. O artilheiro foi Paulinho Maclaren, do Inter, com seis gols.
            O campeão Grêmio (RS), que era dirigido pelo Luis Felipe Scolari, chegou ao título, com a campanha na primeira fase, derrotando o Criciúma (SC), um empate 2 x 2 e uma vitória 2 x1. Depois, na segunda fase, empatou 2 x 2 com o Corinthians, e venceu o time de São Jorge, por 2 x 0. Nas quartas de finais, duas vitórias magras por 1 x 0, sobre o Vitória (BA). Nas semifinais, um empate sem gols e uma vitória por 2 x 1 contra o Vasco (RJ).
            Era fevereiro, dia 22, de 1994, no Estádio Castelão, pela 1° fase da Copa do Brasil, o técnico do Ceará era Mário Fernandes da Silva, a vitória foi de 2 x 0, em cima do Campinense (PB), com gols de Ronaldo e Ney. Entre os jogadores do alvinegro de Porangabussu, está o goleiro Chico, os zagueiros Eugênio Souza, Claudemezio, Airton, o lateral Jaime, os meias Ivanildo e Elói, os atacantes Gerônimo, Rildo, Nonato e Bizu.
            Na partida de volta, no dia 25 de março, o Campinense (PB) venceu por 2 x 1, Edilson e Douglas marcaram para a Raposa Feroz e Catatau descontou para o vovô. Entre os jogadores da equipe cearense, que se classificou com esse resultado, estavam: Marco Aurélio, Claudemir, Gaucho, Marcos Antônio, Niltinho e Sérgio Alves.
            Eu me lembro que eu tinha 14 anos e no meio do ano fiz 15 anos, e não fui a essa primeira partida do Ceará, mas a partir da segunda fase até a final, fui todos os jogos com o mando de campo alvinegro, foi uma época de emoções fortes.
            Nas oitavas de finais, o vozão teria uma pedreira pela frente, o Palmeiras, que naquele ano, conquistaria Campeonato Brasileiro, Campeonato Paulista e era uma máquina dirigida, por Vanderlei Luxemburgo.
            No dia 18 de maio de 1994, no Estádio Castelão, para um público de 37.725 pessoas, Ceará e Palmeiras ficaram no empate sem gols. Ainda dirigido por Mário Fernandes da Silva, o time cearense jogava com o regulamento debaixo do braço. O Ceará formou com Chico, Jaime, Airton, Vitor Hugo (que tinha sido campeão da Copa do Brasil pelo Flamengo (RJ)) e Claudemezio, Mastrillo, Ivanildo e Elói, Catatau, Gerônimo e Sérgio Alves. A equipe alviverde, formava com Fernandez; Cláudio Guadagno, Tonhão, Cléber e  Roberto Carlos (Biro), Amaral, César Sampaio e Macula (Jean Carlo), Edilson, Evair e Maurílio.
                        No jogo, do dia 29 de maio de 1994, uma tarde épica para o alvinegro, o 1 x 1 fora de casa, com a defesa de um pênalti, que Chico pegou do artilheiro alviverde, o Ceará avançou a próxima fase.
           
            Depois de duas eliminações, o comando técnico do Ceará mudou e assumiu Dimas Filgueiras. Era 5 de junho de 1994, o jogo começou às 17h,  e o alvinegro venceu a equipe do Internacional, por 1 x 0, gol de Gerônimo, Antônio Lopes era o técnico dos gaúchos, O goleiro Sérgio Guedes, que depois virou treinador e foi técnico do Ceará, na zaga Daniel Frasson, que veio jogar no Fortaleza posteriormente e hoje é técnico de futebol, Argel, também hoje técnico, Ricardo e Silva, Ânderson (Éverton Luiz) e Élson, Caico e Alexandre Gaúcho, Mazinho Oliveira e Mazinho Loyola cearense que passou também pelo Fortaleza (Nando).
                        No dia 08 de junho de 1994, o Internacional descontou e fez 2 x 1 em cima do Ceará, porém pelo regulamento o clube cearense passou de fase ao marcar, o gol fora de casa. Foi uma partida de virada, com gols anulados da equipe gaúcha. 15 mil pessoas compareceram, ao Beira Rio.Vitor Hugo e Mastrillo foram expulsos. Gerônimo marcou aos 37 do primeiro tempo, Mazinho Loyola, 25 minutos segundo tempo e Paulinho Maclaren 33 minutos da etapa final.
           
            Nas semifinais, o Ceará enfrentaria a surpresa Linhares (ES).  No dia 23 de julho de 1994, o primeiro jogo em entre as duas equipes foi no Castelão e não passou de 0 x 0. No dia 30 de julho, no Estádio Alencar Araripe, em Cariacica, Sérgio Alves fez aos 37 minutos do primeiro tempo fez o único gol da partida.
            

            No dia 07 de agosto, no Castelão 85 mil pessoas comparecem para ver um jogo pegado entre o Ceará e o Grêmio e com uma equipe defensiva, como era a cara do Dimas, o vozão segurou o placar de 0 x 0, que levaria a pressão para Porto Alegre. A base gremista, que no ano posterior conseguiria o título da Libertadores, tinha Darlei, André Vieira, Paulão, Agnaldo e Róger, Pingo, Jamir, Emerson e Carlos Miguel, Fabinho e Nildo.
                        10 de agosto de 1994, 49.263 viram o Grêmio vencer o Ceará, com o gol de Nildo logo aos 3 minutos do primeiro tempo. Depois a partida ficou bem disputada e a polêmica foi à arbitragem, de Oscar Roberto de Godoy, que não marcou o pênalti, em cima de Sérgio Alves, que poderia redundar no gol do título. O vice-campeonato deu ao clube cearense a vaga na Copa Conmebol, que era a antecessora da Copa Sulamericana. 
           

           
Narração e edição: Carlinhos Alves, homenagem a Dimas Filgueiras, Luíz Teixeira de Pádua, o presidente dessa época 1994-1995.
           
           
            Fonte:
Futpédia:


Postar um comentário