domingo, 25 de dezembro de 2016

Raça, um filme para lembrar-se

Dirigido por Stephen Hopkins conhecido por séries como 24 horas, Californication e House of Lies, o filme conta a história de Jesse Owens (Stephan James) corredor da Universidade de Ohio, que vence quatro provas nas Olimpíadas de Berlim de 1936, diante dos olhares do chanceler Adolf Hitler.

Como outros filmes americanos de luta entre brancos e negros, esse fala mais uma vez do preconceito explicito, ou implícito de tantos momentos vergonhosos da história norte-americana, ou mesmo da história da humanidade. Já vi essa semana o filme Barry do começo de Obama, como estudante e outros filmes e documentários sobre lideres dos direitos civis como Marting Luther King, Malcom X e Muhamadd Ali (Eu Sou Ali) que ainda vou comentar mais adiante, em outro post.
Essa película americana, canadense tem uma boa fotografia de época, não se destaca por uma história densa. Tem momentos pequenos de tensão, mas consegue passar claramente a mensagem de que devemos ainda evoluir muito em nossos pensamentos em relação as pessoas de cor.
Em pouco mais de duas horas de filme, o expectador tem uma oportunidade de ver como funcionam os bastidores dos preparativos para a maior competição esportiva da humanidade. Fiquei me lembrando dos nossos Jogos Olímpicos Rio 2016.  Enquanto lá fora o pau comia, o golpe se concretizava, os atletas fizeram sua parte dentro das competições.
Atletas judeus sendo hostilizados, com a eminência de uma guerra, por causa das perseguições que já estavam acontecendo nas ruas. Uma breve semelhança com o Brasil.
Uma boa homenagem a esse atleta que não chegou a ser reconhecido em vida pela Casa Branca, mas que a população colocou um milhão de pessoas nas ruas para esperar sua chegada. E ele foi aclamado por uma população orgulhosa.


Postar um comentário