quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Carlinhos Alves: assumindo um nome mais fácil e mais dinâmico

Quando era pequeno as pessoas mais intimas me chamavam de Carlinhos e eu achava esse nome bem carinhoso, mas com o passar do tempo fui querendo adquirir mais autonomia na vida e ter um nome próprio que pudesse ser mais palatável para as pessoas que o ouvissem e quisessem se comunicar comigo. Escolhi então Carlos Emanuel, que é na verdade o nome inicial de meu nome completo: Carlos Emanuel Bezerra Alves.
Então pensei também que esse nome de Carlos Emanuel me daria uma independência do sobrenome da família que é Alves. Queria ser sempre diferente e único. Durante todos esses últimos anos, principalmente nos anos que entrei para vida de blogueiro na internet, mais ou menos em 2002, ou seja 14 anos atrás tive que ter essa identidade.
Poderia fazer como as duplas sertanejas, no caso um exemplo conhecido é Mirosmar e Welson, que adotaram Zezé Di Camargo e Luciano, que ficou mais acessível a mídia e a população que curte a suas músicas. Mas no meu caso sou escritor e depois me formei e virei jornalista. Achei que deveria ter um nome sério.

Porém esse nome para imprensa ficou meio pesado e não entrou muito no gosto das pessoas. A verdade é que minhas investidas, nas redes sociais, nos dois livros que tenho na rede e nos áudios e vídeos não me davam nenhum retorno. Mas você que está lendo esse texto poderia se perguntar, se na verdade era a qualidade no material produzido que não chama a atenção, não o nome. Pode até ser em parte, mas vejo o nome artístico como uma porta de entrada para as pessoas que vão ver o conteúdo, igual a parte gráfica do site, que você tem.
As pessoas entram na internet e são direcionadas para algo que lhe chama a atenção além do conteúdo, que só é vista depois que a pessoa entra. E vejo, como o nome uma das portas de entrada principal.
Então estava em casa num domingo desses que passou e me veio uma "iluminação" que deveria usar o nome Carlinhos Alves. Depois de procurar por Carlos Emanuel nos perfis do YouTube e vê várias pessoas com esse mesmo nome e o meu só encontrado depois de muito pesquisar, então a ideia de mudar para um nome que talvez tivesse menos gente usando.
Acabei vendo que Carlinhos Alves já tinha um treinador de futebol em São Paulo, um pastor e até jogador de futebol. Mas já tinha mudado de nome artístico de todas as minhas contas na internet e já assumi esse novo nome.
Quando contei meu irmão sobre a "mudança" de nome, ele perguntou se eu havia visto meu mapa astral. Na hora até achei graça, porque não sou adepto da astrologia. Mas apenas acho que abreviar meu primeiro nome de Carlos para Carlinhos e usar o último sobrenome da família Alves seria uma forma de se integrar a um grupo de pessoas que tem o mesmo sobrenome em comum.
Não posso fugir a vida inteira das minhas raízes e nem deixar de achar bacana as pessoas me chamarem pelo meu apelido de sempre e assim ser alguém que está mais próximo das pessoas.
Postar um comentário