quinta-feira, 5 de maio de 2016

Santa Fé as margens do KM 14 BR 116 tem mais do que apenas asfalto e mato também existe gente que deseja mudar a realidade

Da Messejana para Fortaleza, Cleiton Teixeira é mais um fortalezense em busca de novos horizontes para si e para sua cidade

     Messejana, terra de José de Alencar e do ex-presidente Castelo Branco, onde os índios potiguaras habitavam antes da chegada dos colonizadores portugueses. Depois urbanizada pelos jesuítas, até a reforma pombalina, que a partir de 1759, passou a ser chamada de “Vila Nova de Messejana da América” e que através das Estradas Parangaba-Messejana e Estrada do Fio serviu de escoamento do gado, hoje o bairro tem uma população de 44 mil habitantes, porém com a expansão, criou a Grande Messajana, que faz parte da Regional VI de Fortaleza e conta com mais bairros ao seu entorno. Entre eles temos um Ancuri (que muitos hoje chamam de Santa Fé).
     Dessa área de 5.731 km² e com um população de 13.891 habitantes foi que saiu mais um filho ilustre, Cleiton Teixeira, de 36 anos, motorista e que foi até o ensino superior, no curso de Recursos Humanos, na Apoena, onde ainda espera em breve concluir a graduação.
     Nas fases anteriores da sua vida, estudou ainda nos Colégio Padre Severiano e no José de Alencar. O meu blog foi até o Santa Fé ouvir a voz de mais uma nova liderança que surgi em Fortaleza e que pretende ajudar a sua comunidade de alguma forma, como já o faz há alguns anos de formas pontuais, sempre que alguém pede socorro, ele está a disposição com seu carro particular, seja que hora for, para ajudar a minimizar as dores que são tantas na sua comunidade, carente de tudo.
     Acompanhe mais a frente uma pequena entrevista feita ele e que traduz o seu pensamento atual sobre vários assuntos como família, profissão, pretensões políticas e o momento atual do nosso país.
                                                                                                                  
1: Fale um pouco da sua família. Dos seus pais. Esposa. Quais exemplos de positivo têm dos familiares?
R: Sou filho de José Ferreira de Souza e Maria Nery Teixeira de Souza, tenho quatro irmãos. Meu pai hoje em dia está aposentado da Cagece, onde exerceu a função de operador de máquinas. Minha mãe é dona de casa e os dois mim deram educação e carinho para que pudéssemos ter dedicação em tudo o que fazemos.

2: Quando começou a trabalhar? Tinha quantos anos? Fale um pouco da sua trajetória no mercado de trabalho. Que acha da sua profissão de motorista?
R: Comecei a trabalhar a partir dos 18 anos no exercito brasileiro, onde fiquei um ano e em seguida fui trabalhar na L&F comércio LTDA, como função de motorista e também passei um ano, depois fui para a empresa Ibiapina, onde passei um ano e meio. Fiquei trabalhando por conta própria no período de cinco anos e em dezembro de 2012 eu fui para empresa JSB. É uma boa profissão e se tivesse apoio dos empresários e fosse mais valorizada, seria melhor ainda mais.
Cleiton Teixeira no dia a dia de trabalho (foto: arquivo Facebook)

3: Em relação a comunidade onde vive, quais as ações que você já desempenhou em apoio aos moradores do bairro em que vive?
R: Trabalhei com esportes para a juventude e trouxe algumas qualificações para a comunidade como cursos de manicure e às vezes levei pessoas sem condições para ir ao hospital.

4: O que lhe motivou a entrar na política, O que você acha que pode fazer pelas pessoas se tornando vereador?
R: O que motivou foi porque gosto de ajudar as pessoas e quero tentar entrar na política para conseguir recursos e ajudar a população. Trazer melhorias para o povo como saneamento básico, creche, esportes e cultura.

5: Qual a dica que dá para as pessoas que estão sofrendo com a crise econômica? Que elas podem fazer para sair dessa situação?
R: Que possamos nos unir para poder fazer algo para aumentar a renda, como feira e possamos vender o que for como roupa e alimentos, etc.





Postar um comentário