segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Pondé prega Brasil dividido e incentiva sufocamento da esquerda



Ontem (02/11) a noite estava assistindo o Canal Livre, na TV Bandeirantes com Boris Casoy, Mitre e um convidado ilustre, o filosofo, Luiz Felipe Pondé. Cara culto e com um bom papo e cheio de ideias para tudo. Quem o ouve falar se encanta com as suas belas palavras. Deve ter sido assim com as pessoas que se encantaram com o bom de conversa Aécio Neves. Cara bonito vindo de uma casta social abastarda e com fama de namorador.

Já o Pondé, sem nem perceber, ou mesmo intencionalmente serve a elite econômica brasileira e tem uma retórica condizente com seu cargo e com o grupo que frequenta. Acusar a militância petista de falar inverdades sobre os adversários é fácil. Como se eles (tucanos), não sempre usassem o terrorismo contra o povo, para ganhar votos e com ajuda da mídia fazer pré-julgamentos sem provas como fez a Veja na véspera da eleição.
Acusar a regulação de mídia, como censura é algo infame, ou ele Pondé está sendo omisso e tratando a audiência como boba, sem noção.  A Ley de Médios é a favor da liberdade de expressão sim, com responsabilidades e que acabe com monopólios que só servem para destruir reputações, como os grandes conglomerados de comunicação no Brasil fazem.
O seu texto Dialogo ou Secessão? Escrito na madrugada de domingo para segunda, mostra mesmo um “fervor” de quem está pregando para um público seleto. Ainda bem que existem pessoas que estão se libertando da escravidão e cada vez mais conseguindo crescer na vida. Filho de pedreiro virando doutor, advogado, jornalista. Gente podendo viajar, comprar seu próprio transporte , etc.
Parece que Pondé tem “medo” de que essa nova classe média perpetue o PT no poder, como gratidão pelas graças recebidas. Pois quem diz que os beneficiários do Bolsa Família são acomodados, está por fora. Cerca de 1,6 milhão de pessoas já deixaram o programa social do Governo Federal, alegando melhora de vida, com dados do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome em 2013.
Acusar os intelectuais que são favoráveis a política social do PT e dizer que eles não estão nem ai para corrupção é meio perigoso. Pois a mesma mídia que fala de corrupção é que faz de tudo contra a reforma política proposta pela presidente Dilma Roussef e quando ela perde no Congresso Nacional fazem isso como se fosse uma derrota do PT, mas quem perde é o brasileiro.
A revista Veja festejou a derrota na Câmara Federal da Dilma no caso da criação de Conselhos Populares. Deveria agir com mais coerência e ser menos partidária.
Achar bonito o que fizeram um grupo formado por cerca de 2,5 mil pessoas no sábado (01) em São Paulo que pedia intervenção militar e contava com figuras como Lobão e Bolsonaro (com uma arma na cintura) é deplorável. Gente que não aceita a vontade da urnas e acha que vai conseguir fazer mudanças dessa maneira.

Umas raposas velhas da ala mais da extrema-direita brasileira que não faz nada da vida e deveria ser menos homofóbica e segregadora. Afinal o seu líder máximo (Aécio), não pedia união pelo Brasil e eles querem dividir agora?


                                                                       






Postar um comentário