sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Nonato: Uma estrela que se apaga na terra e se acende no Céu

No último sábado (20/09) à tarde, partiu para o plano superior meu grande amigo Nonato, em um acidente no cruzamento da Rua: Meton de Alencar e Rua: Floriano Peixoto. Não sei direito se ele estava na sua bicicleta como de costume e foi atropelado pelo carro, ou estava a pé, mas sei que a lacuna da sua morte deixa em todos nós seus amigos, uma profunda tristeza, pessoas como ele hoje em dia está cada vez mais raro.
Nonato e filho
Não me lembro ao certo o dia que se conhecemos, porém me lembro as tardes maravilhosas em que passamos juntos eu, ele e Einstein seja na casa da sua mãe na Rua: Sólon  Pinheiro, onde tomávamos um café, enquanto escutávamos histórias engraçadas de um mundo distante da realidade atual.
Nas filas do Centro Cultural Banco do Nordeste, quase todas as manhãs lá estava Nonato, com seus óculos fundo de garrafa, e sua voz engraçada e suas colocações sempre moderadas das coisas da vida e sem deixar de colocar sempre Deus e sua devoção católica como algo mais importante.
Acho que o ano era de 2003 mais ou menos e Nonato estava já com seus 30 anos e nós amigos/ colegas contando nossas aventuras sexuais, nossas experiências ousadas com bebida, com mulheres e ele sempre prudente dizendo que a hora certa para chegar uma mulher na sua vida chegaria.
E foi assim que o homem virgem, casou, virou pai e era zelador no IBGE da Avenida Treze de Maio, aonde ia ele todos os dias de bicicleta, no complicado e perigoso trânsito de Fortaleza.
Não poderia esquecer de que o amigo Nonato era um homem com um sonho de ser um humorista de rádio e nós dois sempre conversarmos sobre um dia alugar um horário em qualquer rádio dessas e fazer uma misturada de humor, noticia, uma espécie de Pânico e Garras da Patrulha. Sonho que ficou apenas no desejo, a morte o chamou na antes para o encontro do pai, uma luz se apagou aqui na terra e uma luz especial está iluminando agora o Céu, porque por mais que existam duvidas sobre a existência de um mundo pós-morte há a certeza para mim de que a pessoa de coração nobre não vem para cá a toa, mas tem uma missão especial que ele cumpriu muito bem.
Aqui a memória do dia em que eu, Nonato e Einstein realizamos juntos com o grupo de jovens da Paróquia São Benedito, um dia de Natal para os idosos do Lar Torres de Melo. E ele Nonato brilhou no palco com sua fantasia de palhaço fez sorrir aos rostos cansados de gente abandonada pelo destino.

Vá em paz amigo e ore por nós. Hoje na Capela Medianeira, às 19h próximo a Rua: Sólon Pinheiro, missa de 7° dia, que quiser ir é convidado.
Postar um comentário