quinta-feira, 24 de julho de 2014

Ronaldinho Gaucho peça fundamental para o Galo precisa ser mais valorizada

A idade pesa para alguns jogadores, como no que parece ser o caso de Ronaldinho Gaucho, do Atlético MG. O craque que surgiu nas categorias de base do Grêmio (RS) em 1997 com o titulo do sub 17 teve uma carreira brilhante por onde passou. Paris Saint Germain, Barcelona, Milan, Flamengo e campeão mundial pela seleção brasileira em 2002 e duas vezes eleito o melhor jogador do mundo.
R10 registra momentos da festa do Atlético-MG com celular e cumprimenta todos os companheiros em campo (Foto: EFE)

No jogo de ontem na Arena Minerão, em Minas Gerais, pela final da Recopa Sul americana, em que o Galo mineiro venceu o Lanus (AR) por 4 x 3, o R10 foi substituído aos 19 minutos do segundo tempo. Saiu aplaudido pelos mais de 52 mil torcedores presentes e foi direto para o vestiário.
Apesar da homenagem, o craque parece não estar gostando das suas saídas durante as partidas. Até porque se você analisar o jogo de ontem vê que Ronaldinho foi fundamental para a conquista do titulo. Primeiro que a sua presença em campo desloca muitos jogadores para sua marcação e facilita assim a entrada pelas laterais do seu time.
Se para o R10 o seu futebol é bloqueado pela forte marcação a cada vez que toca na bola sempre dá uma bola na medida para os companheiros. A penalidade que ele converteria em gol, cedeu humildemente para Tardeli chegar aos 100 gols.
Depois quando a bola foi cruzada na área e ele novamente marcaria pois a mesma vinha em sua direção, o Maxuel se antecipou a sua frente e fez mais um para o alvinegro mineiro.
Outro momento do jogo importante foi quando Tardeli deu um passe preciso que Ronaldinho não convertera por pouco já que o defensor do Lanus tirou quase de dentro a bola.
Na saída de Ronaldinho a entrada de Luan, o Lanus ficou meio atordoado pois sem ter quem marcar um jogador especifico a equipe Argentina via bolas vim de vários lados, com Luan, Tardeli pelo meio e o lateral Marcos Rocha.
Os boatos que rondavam de que o Boca Juniores queria Ronaldinho foram desmentidas pelo presidente do Galo Alexandre Kalil. Mas será que o técnico Levir Culpi vai ficar nessa de pegar no pé do jogador? Ele merece todo o respeito e deve ser o jogador que os outros do elenco devem ajudar.


Vejo isso no Barcelona, onde os outros trabalham para que Messi seja a referência e no Real Madrid, onde Cristiano Ronaldo é o astro. Aqui no Brasil falta essa valorização, pois o individualismo de alguns contribui para que um cara como R10 fique ali somente para criar jogadas e quase nunca receber passes. Até quando o jogador suportará?
Postar um comentário