segunda-feira, 9 de junho de 2014

Sem Luciano do Vale, Mauricio Torres e Fernandão Copa perdem um pouco do sabor da transmissão esportiva


As transmissões esportivas perderão muito sem a presença dessas três figuras marcantes.

Luciano do Vale, natural de Campinas foi levado no dia 19 de abril em Uberlândia-MG, quando ia narrar à partida do Campeonato Brasileiro entre Corinthians e Atlético MG e começou a passar mal devido a um infarto. Eu era apenas um garoto envolvido com minhas brincadeiras de futebol de travinha, de sonhos de ser um jogador quando me dei de cara com as narrações desse grande profissional.
Luciano do Vale

Nem sabia que ele tinha passado pela Rede Globo e fora precursor dos grandes esportes, antes de Galvão Bueno. Eu apenas sabia que ele adorava Formula Indy e era o queridinho de todos que detestavam o estilo formal do narrador global.
Eu admito não ser fã do seu trabalho 100%, eu era obcecado pela narração do Galvão e quando via o Troféu Imprensa sempre cair nas mãos do Luciano, ficava irritado porque tanta gente era contra a narração do meu ídolo.
Mas a maturidade foi me fazendo entender porque as pessoas adoravam o do Vale. Ele tinha um jeito bem simples de narrar e falava uma língua bem legível para o povão, sem arroubos de intelectualidades. Essa Copa do Mundo no Brasil era a cara, do narrador da Bandeirantes.

Já o ainda jovem carioca Mauricio Torres nos deixou com complicações decorrentes de uma arritmia cardíaca. Eu me lembro bem de ouvir pela primeira vez sua voz marcante e bem identificada com a juventude numa transmissão esportiva da Globo. Surgia ai uma voz que falava a linguagem que a nova geração acostumada com novas tecnologias gostava de escutar.
Mauricio Torres

Narração conversada, sem deixar de ser vibrante, com o tempo ele foi para a TV Record e eu o acompanhei em vários jogos Pan- Americanos com exclusividade em TV Aberta do canal do Edir Macedo. E a sua ultima grande participação nas Olimpíadas de Londres em 2012.

Fernandão era mais novo ainda, com apenas 36 anos, o acidente de helicóptero o fez deixar essa vida bem breve. Jogador goiano que surgiu nas categorias de base do Goiás e com passagens por Marselle (FRA) e São Paulo se destacou mesmo com a camisa do Internacional de Porto Alegre quando conquistou o mundial de clubes pela equipe.
Fernandão (ao centro)

Depois teve uma passagem como dirigente e breve tempo como treinador substituindo o então técnico Dunga. E atualmente era comentarista do canal Sportv escalado para Copa do Mundo.

São perdas irreparáveis como também a de Bellini e de Marinho Chagas que vestiram a camisa da Seleção Canarinha. Novos profissionais dentro e fora de campo vão surgir, mas essas figuras que nos deixaram esse ano serão lembradas nas transmissões da Copa, isso é fato.
Postar um comentário