segunda-feira, 17 de março de 2014

Copa do Mundo de 1934, Itália campeã com uma mãozinha do Dulce

Copa do mundo


O ano era 1934 e o primeiro-ministro da Itália Benito Mussolini comandava seu país através do fascismo, uma espécie de fusão entre nacionalismo, corporativismo, sindicalismo nacional, expansionismo, progresso social e anticomunismo.

Na prática uma mescla de um pensamento integralista que controlava todos, principalmente por meio da censura e da propaganda do Estado. Foi com esse idealismo que o ditador, se usou da Copa do Mundo de Futebol para fazer propaganda do seu governo pelo mundo a fora.
Mas isso se deu principalmente pela desistência da Suécia dois anos antes. Dai foi só se articular e conseguir o apoio dos 29 países que votaram na Itália, no Congresso da Fifa em Estocolmo,  para ser sede do mundial.




Intenção de ajudar a arbitragem

No dia 27 de maio em oito estádios da Itália, começou o mundial no mata-mata, pois ainda não existia fase de grupos na competição. A Itália venceu os EUA por 7x1 em Roma, já o Brasil foi derrotado pela Espanha por 3x1 em Genova.
A seleção brasileira na oportunidade era formada, por atletas do Botafogo-RJ e tinha como treinador Luís Vinhões, campeão carioca pelo São Cristovão.
Isso aconteceu devido à divergência entre a Federação Brasileira de Futebol (FBF) que desejava a profissionalização e a Confederação Brasileira de Desportos (CBD) a favor do amadorismo.
Segundo a Wikipédia, Mussolini se encontrava com árbitros, já pré-determinados a favorecer a Azzura.
Não se pode negar o sucesso e a consolidação do futebol pela Europa. Foram 16 participantes nesta edição, com média de 4,12 gols por partida. Um público total de 358 mil torcedores.
E como a primeira vez há quatro anos, a anfitriã ganharia o campeonato. Na tarde do dia 10 de junho para um público 55 mil pagantes, a Itália venceu Tchecoslováquia por 2 x 1 com o gol do desempate na prorrogação, marcado por Angelo Schiavio.

Nesse tempo ainda se jogava por seleções de mais de um país. Foi o caso, do jogador Luis Monti, argentino vice-campeão em 1930 com a Argentina e que agora era campeão pela seleção italiana.

Também temos um brasileiro campeão pela primeira vez, Filo (Guarisi), que jogava no Corinthians paulista. Outra curiosidade desse torneio foi que para chegar a disputá-lo, a Itália, necessitou de jogar as eliminatórias, mesmo sendo país sede.


Postar um comentário