sábado, 22 de março de 2014

Com medo de golpe, Brasil é Bi-campeão de futebol no Chile em 1962


O ano de 1962 foi histórico não só pelo bicampeonato canarinho no Chile, mas pela derrota de Jânio Quadros, ao governo paulista, um ano depois da sua renuncia meteórica da Presidência da Republica.

Com as bandeiras da moralidade, do combate, à corrupção e da eficácia administrativa, o candidato que havia deixado o poder devido às “forças terríveis”, que o perseguiam, saíra do seu antigo partido PDC (Partido Democrata Cristão) e com o apoio do Partido Trabalhista Nacional (PTN) e Movimento Trabalhista Renovador (MTR), tentava voltar ao poder e usar como trampolim essa vitória para futuramente voltar ao cargo perdido.
Jânio Quadros

Mas teve pela frente o seu desafeto Adhemar de Barros do Partido Social Progressista (PSP), que havia perdido para ele na disputa para o planalto. Dessa vez Jânio foi derrotado, conquistando 34, 2 % dos votos (1.125.941). Adhemar seria eleito governador de São Paulo com 1.249.414 votos, (37,8%).
            Dois anos depois João Goulart, então vice de Jânio seria deposto do cargo de presidente da Republica e o Brasil viveria anos de chumbo, lembrados esse mês de março, com 50 anos depois do golpe.
            Enquanto esse momento obscuro da nossa história não chegava, a seleção canarinha se preparava para mais um combate. Eram momentos complicados para 16 países, divididos em quatro grupos, as principais forças do esporte até aquele momento, foram capazes de proporcionar jogos inesquecíveis.

            Nosso craque Garrincha havia sido escolhido o melhor jogador da Copa do Mundo deste ano, com quatro gols marcados e muitos dribles, que deixaram toda a torcida impressionada.
Aymore Moreira

              Comandados por Aymoré Moreira, treinador carioca de Miracema, o selecionado não tomou conhecimento dos adversários. O comandante esteve à frente de mais de 15 times no Brasil e Portugal. Além do titulo pela seleção brasileira no Chile, Moreira, ganhou alguns poucos torneios.
            Gilmar, Djalma Santos, Didi, Zagallo, Vavá, Pepe, Zito, Garrincha e Pelé, com jogadores como esse não se esperava outra coisa, além do titulo.
            No primeiro jogo, do grupo 3, O Brasil ganhou  por 2 a 0 do México, com gols de Zagallo e Pelé. A Tchecoslováquia do mesmo grupo venceu a Espanha de Puskás por 1 a 0, gol de Stibrányi.
            Numa antecipação do que seria a final, Brasil e Tchecoslováquia, se enfrentaram em Vinã Del Mar, no Estádio Sausalito para o público pífio de 14.903 pagantes, o jogo ficou 0 x 0.
            No terceiro jogo a seleção brasileira venceu por 2 x 1 a Espanha com dois gols de Amarildo, substituto de Pelé, contundido no segundo jogo.  A seleção Theca perdeu para o México por 3 x 1, mas ainda assim se classificou em segundo lugar.
Bicampeão- Brasil

             Nas quartas-de-final foi a vez do “anjo das pernas” tortas aprontar e com dois gols seus o Brasil por 3 x 1 a Inglaterra. Enquanto a Tchecoslováquia ganhou de 1 x 0 da Hungria .
            Nas semifinais Garrincha faria mais dois gols e os amarelos venceriam os donos da casa por 4 x 2 no Chile.  Na Final 3 x 1 na seleção theca.



Postar um comentário