domingo, 16 de fevereiro de 2014

Um encontro e uma partida


Nunca mais imaginei que essa dor fosse voltar. Eu tinha encontrado a felicidade sem saber em novembro, durante uma visita aos bate papos da UOL e depois adicionado no facebook, nos encontramos e começamos um namoro todo especial.

Sem grandes expectativas, os nossos dias iam se alegrando a cada momento e nosso relacionamento se fortificava. Ela com uma filha de 09 anos e eu um rapaz sozinho, solitário na grande metrópole que é Fortaleza.
Ela ainda era uma realidade na minha vida e minha família ainda era pouco conhecedora dessa mulher. Só aos poucos ela foi sendo conhecida pelo meu pai, minha mãe, meu irmão e por último minha irmã.
Tudo estava em ordem até o sábado passado (08/02). Nesse dia acordei disposto, arrumei a casa, coloquei roupa na máquina para lavar e liguei para minha namorada e ela chegou por volta de 14h30 aqui em casa.
Fomos então a rodoviária se despedir da minha mãe que estava retornando a Iguatu, depois de dois meses aqui em Fortaleza. Minha mãe partiu no ônibus da Guanabara, às 16h. Eu e minha gata, fomos até a parada de ônibus em frente a Contax e comemos uns pratinhos de comidas tipicas e descemos com destino ao pré-carnaval da Praia de Iracema.
Lá os blocos Unidos da Vila, Baqueta, Unidos da Cachorra, etc, concentrados próximo a obra do Aquarius na rua dos Tabajaras. Ali ficamos bebendo, eu, minha gata, uma senhora minha vizinha e outras pessoas. Depois de um tempo parado, seguimos os blocos até o Aterrinho, onde estava rolando a festa.

Isso, um amigo meu me ligando direto, querendo me encontrar. Foi ai que
aconteceu o pior, em um dado momento ele comprou cerveja e me ofereceu. Foi ai que eu já meio “alto” do álcool me exaltei com minha namorada, que disse que eu aceitasse a bebida paga pelo rapaz.
Eu disse a ela que não gosto de ninguém pagando minha bebida e que ela não poderia me rebaixar na frente dos outros. Fora isso comecei a falar várias coisas que eu não lembrava direito.
Fomos para minha casa, mas ela com ódio de mim. Ai no domingo de manhã bem cedo ela foi embora, deixando meu coração triste. Durante a semana ainda conversamos por telefone, mas as coisas não caminharam bem.
Ela ficou de vim para cá ontem (15/02), mas acabou desistindo e disse que viria hoje e eu simplesmente não liguei, pois se ela disse que vinha deveria dar um toque no meu número. Eu acho que isso é um sinal que acabou o nosso relacionamento de pouco mais de três meses.
Só mais uma decepção que eu passei. Primeiro comigo mesmo, pelo meu ato intempestivo, depois com ela que se aproveitou do meu erro e parece ter caído fora do relacionamento, como se qualquer ser humano não fosse falho e errasse.

A vida é sempre assim, uns estão felizes e outros tristes e eu sigo a minha estrada, esperando superar mais essa dor e correr atrás da minha vida, destino e sobrevivência. Não penso em amores, pois eles vem como uma brisa leve e passam na nossa vida e nos deixam como que atacados pelo furacão.
Postar um comentário