terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Oito Governadores deixarão pasta em breve

O ano mal começa e as informações são de que os governadores eleitos com seu voto não terminarão ano, diz o texto de Marcela Mattos na Veja online. Todos pretendem deixar o cargo em abril: é o caso de Simão Jatene (PSDB), doido por uma boquinha no Senado ou a própria cadeira que ocupa de governador do Pará. Quem sai em vantagem ai é o vice-governador, aliado de momento da presidente Dilma Roussef. Do PSD, Helenilson Pontes já garantiu mais espaço apartir da sua posse.

Já em Roraima, sairá Anchieta Júnior (PSDB), para entrada do aliado de Dudu, Chico Rodrigues (PSB). Já em Minas Gerais, uma situação bem complexa, pois com a saida de Antonio Anastacia (PSDB), do comando do estado, assume um aliado de Dilma, Alberto Pinto Coelho (PP), porém o Partido Progressista pode fechar apoio ao nome de Aécio Neves para presidente.
Em Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), deixa um comando do Palácio das Princesas com a melhor avaliação entre os governadores, usará o seu vice João Lyra Neto, recém filiado ao PSB, como governador para fazer valer sua vitória em número de votos positivos para presidente.



Alvo de uma rebelião nos presídios recentemente e com a imagem abalada, a governadora Roseana Sarney (PMDB) deixa o comando do estado para concorrer a senadora e escapar das criticas que vem sofrendo inclusive com pedido de impeachment, arquivado na Assembleia Legislativa do Maranhão. Para ocupar seu lugar, uma nova eleição indireta será esperada, com o nome do secretario de Infraestrutura Luís Fernando Silva (PMDB), como fortalecido e ungido pela família Sarney.    



Se a situação é complicada em alguns estados, imagine no Piaui, onde Wilson Martins (PSB) abre caminho para seu vice Sé Filho (PMDB), que garante apoio a Dilma, mas a nível estadual a briga entre PT e aliados é grande. No lindo Rio de Janeiro, PT e PMDB podem quebrar aliança de mais de uma década, pois Sérgio Cabral (PMDB) sairá e no seu lugar Luis Fernando Pezão. O Problema é que o PT do Rio de Janeiro, já garantiu ter como candidato próprio Lindbergh Farias.


Finalizando a dança de governadores, no Mato Groso, Silval Barbosa (PMDB), sai para que Francisco Daltro (PSD) entre e faça o trabalho para a Dilma ganhar votos. Tá lançada a sorte nestes estados, agora é esperar e ver quem tem mais foraç de articulação e até onde vai a visão do povo em relação a esses governantes e seus pupilos.









Postar um comentário