sábado, 21 de dezembro de 2013

Vavá do Acordeon: a humilde arte da música


Natural de Várzea Alegre, município do Centro Sul do Ceará e atualmente no bairro Jardim América em Fortaleza, José Jozimar Vieira, 75 anos, já fez de quase tudo na vida. Foi vendedor, trabalhou em uma fábrica em Orós. Isso por pouco tempo é claro, já que a música foi seu principal “ganha pão” durante toda a vida, numa família repleta de músicos.

Dessa maneira seu José, mais conhecido por Vavá do Acordeon (nome artístico dado pelo sobrinho) entrou para a vida de sanfoneiro, onde fez parte de alguns grupos musicais, entre eles, a banda Zabumba, onde também gravou o seu CD solo “Recordar é Viver”.

No álbum, músicas de estilos diferentes, como “Moxotó de Jackson do Pandeiro; “Arte Culinária” do Trio Nordestino; “Triste Madrugada”, Jair Rodrigues, dentre outras.
Para o artista, o CD é uma mistura de ritmos. “Tem uma salada de músicas, de várias origens, principalmente o forró Pé de Serra e muita influência de Luiz Gonzaga”, ressaltou.
Segundo ainda Vavá, o que atrapalhou mais sua carreira, foi o álcool, “drama”, que não tirou dele orgulho com os filhos. “Tenho 4 filhos, me sinto feliz de ter conseguido formar dois, um trabalha em Angola na Africa, como engenheiro, outro em Belo Horizonte, além de uma filha que trabalha em uma clinica na aldeota e outro que é metalúrgico”, finalizou.




Postar um comentário