domingo, 8 de setembro de 2013

Bolsa Familia criado pelo PT, tem influencias do Banco Mundial e também de petistas e tucanos

Criado em 20 de outubro de 2003, o programa "carro chefe" do Governo Lula, tem diversas versões de sua inspiração original. Segundo o blog Dinheiro Publico&Cia do jornalista Gustavo Patu da Folha de São Paulo online, mostra quais as possíveis origens da maior transferência de renda da história do Brasil.

Para o blog, o programa governamental petista baseou-se no plano originário do Fome Zero, que daria um cartão apenas paras as pessoas comprarem comida, aperfeiçoado com o pensamento neoliberal de que as pessoas fariam o que bem entendessem com o dinheiro, porém deveriam ter seus filhos com frequência regular na escola.
Outro ponto apontado no blog, é o documento do Banco Mundial que fala da paternidade do Programa Social do PT. Lula teria se encontrado em março de 2003 com o Presidente do Banco Mundial da época, James Wolfensohn, que foi o formulador do programa de combate a fome no México e ajudou na construção do programa brasileiro.
Para além dessa versão oficial, existe a origem em 1995 no Governo do Distrito Federal do PT de Cristovam Buarque e de um prefeito do PSDB de Campinas que levaram algo novo que futuramente seria adaptado e copiados por outros municípios.
O Governo de FH, criou em 2001, já quase de saída da presidência da República, o programa Bolsa Escola e Bolsa Alimentação, além do Vale Gás, que investia cerca de R$ 3,2 bilhão.
Não se pode comparar é claro segundo diz o jornalista Gustavo Patu, os os dois programas,, já que o Governo do PT, R$ 21,4 bilhão só neste ano de 2013. "Tucanos costumam reivindicar uma parcela majoritária do DNA do Bolsa Família, que, segundo sua argumentação, seria mera unificação de verbas já existentes. Mas foi a administração petista que deu ao programa uma escala antes inimaginável", finalizou.
Postar um comentário