terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Padre Haroldo não morreu, apenas fez uma viagem

A primeira vez que vi Padre Haroldo foi no lançamento da Revista Tricontinental em língua portuguesa, lá no Dragão do Mar. O ano era de 2007 e vivíamos uma gestão de esquerda em Fortaleza. Sempre participante da Igreja católica na juventude, pouco vi padres comprometidos com o lado social. A maioria estava centrada em rituais chatos, ou reuniões, cheia de cantos, mas com indiferença em relação ao que se passava na sociedade.

            Desse encontro em 2007 lá se vão 06 anos e fico ainda na lembrança aquele padre, no meio de pessoas na maioria de revolucionários ateus. Era impressionante alguém como ele guardar a fé e está ligado a luta do povo. Durante os anos seguintes fui vendo ele por ai em outros eventos, principalmente ligado ao grupo de Maria Luíza e Rosa da Fonseca, chamado de Critica Radical.
Cezare Battisti, Padre Haroldo (última vez que o vi em público)

Se não em engano a ultima vez que vi ele, foi quando o militante de esquerda exilado no Brasil Cezare Battisti esteve lançando seu livro, no dia 19 de dezembro de 2011.

            Muitas pessoas lamentaram a morte deste padre no último dia 12 de janeiro aos 77 anos vitima de insuficiência respiratória, em Brasília quando visitava parentes. Entre as pessoas que lamentaram sua morte políticos da estirpe de Lúcio Alcântara, João Alfredo e tantos outros.
Aqui reproduzo abaixo o texto do Companheiro Antonio Ibiapino sobre Padre Haroldo:

O padre da solidariedade
   Há muitos anos o Nosso Querido Padre Haroldo me ensinou uma coisa, que para mim, tem sido muito importante. Com a Bíblia na mão ele disse: aqui em Isaias 10; estar escrito: "ai dos que decretam leis injustas, dos que escrevem leis de opressão, para negarem justiça aos pobres, para arrebatarem o direito aos aflitos do meu povo, a fim de despojarem as viúvas e roubarem os órfãos!
   Mas que fareis vós outros no dia do castigo, na calamidade que vem de longe? A quem recorrereis para obter socorro e onde deixareis a vossa glória?
   Nada mais vos resta a fazer, senão dobrar-vos entre os prisioneiros e cair entre os mortos."
Antônio Ibiapino e Carlos Emanuel

   Feita a citação Bíblica, continuou: "durante a ditadura militar, período em que tanta gente sofreu com a repressão, com as leis injustas e, sobretudo com as prisões, torturas e até mortes; eu usei este texto de Isaias, nas minhas missas, com isso eu fazia uma crítica contundentes aos militares criminosos, e era bom, porque eles não podiam fazer nada contra mim, uma vez, que simplesmente eu fazia uma citação Bíblica."
   Em outro momento, quando triunfará a Revolução nicaraguense; Fidel Castro enviou aquele país um grupo de professoras para contribuir de forma solidária no processo de alfabetização que a referida Revolução socialista estava a desenvolver na época. Na contramão do bem, os Estados Unidos da América determinou um massivo bombardeio, através de aviões de guerra, resultando na morte de cinquenta professoras cubanas. E quem levantou a voz contra esse crime? O nosso padre Haroldo. Que imediatamente fundou um comitê de solidariedade à Nicarágua.
   Em relação ao Brasil e especificamente ao Ceará. Ele, Dom Helder Câmara e Dom Aloísio Loursheider se integraram de corpo e alma na luta em defesa da moradia, apoiando, portanto a milhares de homens mulheres e crianças sem moradia, por conseguinte sem o mínimo de dignidade humana. Foi assim no Pirambu, Genibau, Conjunto Palmeiras, Antonio Bezerra, Lagamar, Cônego de Castro, Parque Santana e em tantos outros locais. Bastava que lá existisse um pobre sofrendo algum tipo de injustiça. Ainda agora por ocasião da ocupação do MST, CMP e MCP, na Fazenda Montenegro; no Conjunto José Walter, ele o padre da solidariedade foi ao encontro dos Sem teto, e entre a lama e a poeira, característica comum das áreas desprovidas de urbanização celebrou uma missa em solidariedade aos acampados.
   Depois de tanta luta a Fazenda Montenegro será de fato transformada num conjunto habitacional que acolherá centenas de milhares de pobres. Seria bom e justo que àquela terra fosse batizada com o nome. Residencial Padre Haroldo, em homenagem a sua luta em prol da justiça social.
   Há três anos foi a Cuba em missão política da Casa da Amizade Brasil-Cuba do Ceará; solidário a Revolução e ao heroico povo cubano se contrapôs ao bloqueio econômico imposto pelos Estados Unidos e também às prisões dos cinco heróis cubanos presos injustamente no país do Obama.
   Padre Haroldo significa o grito de indignação contra as injustiças sociais, aqui no seu país e também no mundo. O Haroldo se foi, mas nasceu de novo, com um nome novo. Padre da solidariedade.
   Nós que caminhamos com ele em todas essas grandes lutas, que estivemos em seu enterro dando-lhe um último adeus, nunca mais o veremos fisicamente, contudo haveremos de encontrar forças para dizer bem alto; o que disse um dia, aquele nicaraguense que pelo rádio anunciou a morte do também padre, Lavianda. "Hermanos, lamento informar que cayó en combate hace poucas horas el comandante Martí Garcia Gaspar Lavianda, todavia no es la hora de llorar, hoy más do que nunca devemos segui el ejemplo heroico de nuestros mártires."
   Agir desta maneira será para nós uma tarefa revolucionária, porque o senhor foi sempre um exemplo, que permanecerá vivo e presente; hoje e sempre.
Antonio Ibiapino da Silva
   








Postar um comentário