segunda-feira, 26 de março de 2012

Medo e Delírio em Um Clássico Rei

Lembranças ruins
            No ultimo Clássico Rei no dia 12 de Fevereiro sobre o comando do velho soldado alvinegro Dimas Filgueiras, o Ceara havia deixado escapar uma vitoria nos últimos minutos, de um jogo onde tinha aberto o placar ainda aos cinco minutos do segundo tempo num gol de pênalti de Felipe Azevedo. Logo no fim do jogo Ciro Sena aos 44 e Kaue aos 46 do segundo tempo haviam virado para o Leão.  Para mim foi um dia meio aperreado tinha ido fazer uma prova para concurso publico que foi 13 horas e tinha conseguido terminar umas 14h30. Ai eu fui ouvir o jogo pelo radio.
            Nesse jogo polêmico que o mando de campo era do Ceara, o Presidente Alvinegro Evandro Leitão não havia permitido a transmissão da TV Verdes Mares. Quando os gols saíram, foram passando durante o outro jogo da rede. Eu sinceramente não esperava aquela derrota, já que o vozão tinha um time melhor no papel, mas clássico às vezes o melhor não ganha.
            Passei poucas e boas gozações de tricolores do Pici que trabalham comigo e também de outros que moram na minha rua. Tive que engolir que eles eram melhores. Isso foi difícil de aceitar, pois via o meu Ceara muito superior.
            De lá ate chegar o jogo de hoje,  o Ceara já mudou de dois treinadores, saiu Dimas, entrou Lula Pereira, saiu Lula agora chegou PC Gusmão, aquele que levou o Ceara a Serie A em 2009. Antes de ele chegar, o time ate ganhava, porem não convencia. A diferença entre Ceara e Fortaleza estava de onze pontos para o Tricolor.
Caminhada Difícil
Na quinta passada com aquela confiança no coração fui ate a loja do Sou Mais na Avenida Barão de Studart e comprei meu ingresso de meia por R$ 15,00. Muitos me disseram que seria arriscado ir para esse jogo. Mas modéstia parte, sou cobra criada, já sofri outras vezes acompanhando o Ceara. Já tinha ido outros Clássicos Rei tanto no Castelão, como no PV.
            Aquela adrenalina era algo que eu estava mesmo querendo passar. Não chegava a ser o nível que conta Hunter S. Thompson no seu personagem gonzo muito alucinado pelas drogas em Las Vegas.
            Eu estava consciente do que passaria, mas claro tinha minha tática e nela me baseei para elaborar o planejamento do meu itinerário. Comecei quando fui dormir na casa da minha irmã na Praia de Iracema. Quando de lá partir com minha camisa da Sociedade Alternativa do Raul Seixas e dentro da mochila a camisa do Ceara, estava me resguardando.
            Logo na esquina entre Dom Joaquim e Pereira Filgueiras o medo começou a tomar conta de mim. Um torcedor com a camisa do Leão Da TUF. Gritando e xingando as pessoas na rua. Fiquei pensando, será que ele vai me parar e pedir para eu abrir a bolsa?
            Claro isso passava na minha cabeça, porem as pessoas nem notavam que eu ia para um jogo de futebol. Na esquina da Rua Nogueira Acioly com Rua: Tenente Benévolo eu fiquei esperando o ônibus. Passou cada figura esquisita e eu com medo. Quando vi o ônibus de longe corri e dei sinal e ele parou e subi rapidamente pois se aproximava de mim um sujeito estranho.
            Aquele coração palpitante estava me deixando eufórico, era uma coisa ruim, mas boa pois eu estava querendo aquela adrenalina, a vida ‘e curta e se não aproveitarmos isso passa rápido. Desci no Shopping Benfica e fui caminhando ate o PV. Eu percebia o medo das pessoas nas ruas. Algumas querendo correr para pegar o ônibus, outras paralisadas com aquela torcida organizada passando por eles.
            Ali já não eram mais torcedores do Fortaleza, alias não vi nenhum torcedor do Leão nas imediações do Estádio. As duas praças que dão acesso ao jogo estavam tomadas por torcedores do Vovô.
            Comprei uma água e fiquei ali fora vendo a movimentação da torcida. Dois jovens se aproximaram de mim querendo comprar ingresso para entrar no jogo, eu disse que não tinha. Vi pessoas comentando que o ingresso ali na mão de cambista era de R$ 70,00. Ainda pensei em vender e ir embora, mas aquela vontade de arriscar falou mais forte e me dirigi ao portão de entrada.
            Tive que abrir minha mochila e mostrar cada compartimento para a policia militar que fazia revista de quem entrava no estádio. Quando mostrei ao guarda a parte em que tinha cuecas  e meias minhas, ele logo sorriu e me deixou passar.
O Espetáculo

Uma hora e meia, antes do jogo a festa a parte ‘e das torcidas organizadas que já dão o termômetro do que vai ser o jogo dentro das quatro linhas. O time do Ceara chega 14h40, entre eles Michel (Guerreiro Alvinegro) que hoje joga Vitoria da Bahia e esta prestigiando o seu antigo clube, será que ele volta?
No meio do gramado um cartaz com uma homenagem a Chico Anysio humorista cearense que morreu na sexta feira.  Dentro de campo a personagem Luana do Crato e Veia Cômica que entregariam ao capitão de cada time a placa com a foto de Chico Anysio.
            Fortaleza 34 gols feitos e sofreu 15 gols, escalado com Fabio Lima, Rafinha, Ciro Sena, Kleber carioca, Kaue, Leandro, Esley, Geraldo, Cléo e Jaílson.
            O Ceara com 34 gols a favor e 13 contra entrou em campo com FH, Apodi, William Thiego. Daniel Marques, Marcio Careca, Everton, Heleno, Euzébio, Rogerinho, Felipe Azevedo e Mota. Apitou o jogo Avelar Rodrigues, auxiliado por Thiago Brígido e Martins Ribeiro. Quem ganhasse o jogo também levaria o troféu em alusão aos 92 anos da FCF.

            A torcida TUF brigava entre si e a policia militar interveio com tiros de borracha. Fortaleza durante esse jogo estreou a camisa alusiva ao campeonato cearense de 1983. A torcida do Leão ainda expõe seus bandeirões. Por outro lado a torcida Cearamor não teve acesso aos ingressos como de costume, no caso mil ingressos, por um desentendimento com o Presidente do Ceara Evandro Leitão.

Antes de começar o jogo um minuto de silencio em homenagem ao humorista Chico Anysio. Nos 15 primeiros minutos de jogo o Ceara teve mais volume com jogadas pelo meio e chutes perigosos de Mota.

            O Fortaleza aproveitava as falhas do Ceara e tinha jogadas pela  linha de fundo. Depois dos 15 minutos o Fortaleza se fechou e teve mais oportunidades de ataque com chutes perigosos e grandes defesas de FH. Ainda no tempo inicial Geraldo que levou um amarelo poderia ter sido expulso.
No segundo tempo o jogo caiu de produção, os dois times. Fabio Lima goleiro do Fortaleza fez grandes defesas. Ceara no apagar das luzes fez o gol. Alegria de um lado, tristeza do outro.

            Primeiro a torcida do Fortaleza saiu do estádio como o time perdedor. No estádio os refletores do lado do Fortaleza se apagaram a torcida do Ceara continua comemorando. 
Enquanto isso um policial dentro do gramado gravava o comportamento da torcida alvinegra. No radio havia dado que a torcida do Fortaleza danificou parte da estrutura do PV.
A Volta Para Casa
            Ficamos ali trancados no PV e eu aproveitei e fui trocar a blusa. No começo tinha tirado a do Raul e botado a do Ceara no banheiro do PV. Agora estava fazendo o inverso tirei a do Ceara e coloquei a do Raul, afinal ia enfrentar situações inimagináveis.
            Primeiro fui merendar um prato de comidas típicas na Praça da Gentilandia. Ai tive um problema o dono estava embriagado e quando eu dei R$ 20 a ele, quase se pegamos pois o cara estava botando boneco para me dar meu troco.
            Depois que resolvi essa situação, passei no Shopping Benfica e tomei um sundae com cobertura de morango. Subi no onibus Parangaba/Mucuripe e vinte minutos depois estava no terminal da Parangaba.
            Logo escutei tiros e correria. Era a torcida do Fortaleza, realizando vandalismo. Alguns invadiram o terminal. Foi necessário chegar mais reforços. Entrou mais dois carros da policia militar.
            Eu que estava ouvindo radio, logo guarde, pois poderiam associar isso a que eu estava vindo do estádio e poderiam logo descobrir minha identidade secreta de torcedor do Ceara. Seria uma tragédia. De novo aquele medo e ao mesmo tempo, misturado com êxtase de passar por uma adrenalina diferente. Por fim cheguei a casa bem, depois dessa aventura.


Postar um comentário