sexta-feira, 30 de março de 2012

Estreia do Filme Heleno em Fortaleza

A sessão de 14 horas na sala 5 do Multiplex do Iguatemi estava em cartaz o filme Heleno estrelado pelo ator Rodrigo Santoro. Fui o primeiro a entrar na sala. Apenas 3 refletores a esquerda e 3 a direita iluminavam um pouco a sala bastante escura. Estava faltando poucos minutos para iniciar as imagens na tela, mas parecia que somente eu assistiria aquele filme.

Depois entraram mais sete pessoas, comigo oito, sobraram então 166 lugares. O Ingresso era R$ 17,00 e eu paguei apenas R$ 8,50 devido ser estudante. O filme em preto e branco conta a historia de um jogador de futebol. Tinha ele várias qualidades; bonito, inteligente, com grande habilidade técnica.
Heleno de Freitas fazia sucesso com as mulheres e dentro de campo queria ser a estrela solitária. Ele achava que faltava vontade ou competência técnica em jogar dos seis companheiros. Na final do campeonato carioca de 1949 em que  Botafogo e Flamengo empataram em 2 a 2, Heleno perdera um penalti e o titulo ficou com o Rubro-Negro.
Depois foi negociado com o Boca Juniores da Argentina, na maior negociação de um jogador do futebol brasileiro na época. Na Argentina passou pouco tempo e logo voltou ao Brasil. porem o Botafogo nao o aceitou mais e Heleno de Freitas foi jogar no Vasco. No Gigante da Colina se desentendeu com o treinador e saiu do time.
O filme mostra dois momentos do jogador, no futuro já no sanatório em Barbacena “louco”, comido pela sifilise no seu auge cercado de mulheres, bebida e fama. Heleno se casa com Ilma, mas depois que volta da Argentina ela o troca por seu melhor amigo do tempo de Botafogo.
Faltou no filme mostrar porque ela quis a separação, ficou meio vago esse detalhe. Ela só diz que estava se sentindo só e por isso queria se separar. Com a separação Heleno se perde mais da vida; não segue os conselhos médicos para se tratar e a doença o torna cada vez mais agressivo, ate que seu irmão resolve interna-lo.
Me lembrei quando ainda estava no onibus Papicu/ Montese e acabei sem perceber ouvindo um locutor contando uma estoria, abre aspas: “ Existiam duas mulheres que estavam internadas em um hospital com a mesma doença, uma sempre recebia visitas e a outra não ia ninguém vê-la. A que recebia visitas logo foi se recuperando e ficando boa, mas a que não recebia nenhuma visita foi piorando cinicamente e logo morreu.
Quando houve o enterro da senhora a enfermeira que cuidava dela no hospital foi ver e viu uma multidão de pessoas e se aproximou de uma mulher muito parecida com a falecida e perguntou:-  A senhora e o que dela? - Eu sou a irmã.Respondeu a senhora - E por que ninguém ia visita-la? Perguntou a enfermeira - Porque estávamos sempre ocupados em ganhar mais dinheiro. Disse a senhora, irmã da falecida.
A enfermeira saiu dali impressionada como as pessoas eram cada vez mais frias.”
Essa estoria que citei foi somente para ilustrar o que aconteceu com Heleno ao se sentir sozinho na vida abandonado pela esposa.
No sanatório Ilma o visita algumas vezes e se decepciona com as atitudes de Heleno. Para mim a melhor atuacao de Rodrigo Santoro no filme foi quando ele interpreta a fase do Heleno de Freitas louco. Ja tendo experiência em outro filme: “Abril Despedaçado” em que interpreta um jovem que usa drogas e ‘e internado pelo pai num hospício, quando na verdade não era louco.
Outro momento forte no filme ‘e quando Heleno de Freitas, que nao tinha jogado a Copa de 50, entra no Maracana pela primeira vez com a camisa do America do RJ.

O filme tem a Direção de José Henrique Fonseca, Roteiro: José Henrique Fonseca, Felipe Bragança e Fernando Castets Distribuidora: Downtown Filmes


Postar um comentário