domingo, 22 de janeiro de 2012

VI Rock Cordel o maior festival de Rock do Nordeste


Estava sentado na terceira cadeira do meio para fora, na sétima fileira de baixo para cima do anfiteatro do centro Cultural Dragão do Mar, noite de sábado eram 18h23 poucos minutos de começar mais apresentações do VI Rock Cordel, festival que acontece organizado pelo Banco do Nordeste.
             São mais de 120 atrações musicais dos mais diversos estilos que o Rock pode ter. Hard Core, Pop Rock, Havy Metal, Clássicos do Rock, músicas de desenhos japoneses, etc. Para mim essa história começou no dia 14 de janeiro de 2012, no Centro Cultural BNB.
             Tinha primeiro ido, a biblioteca como faço de costume e por lá estava vendo o meu jornal. Quando chegou próximo a mim meu amigo Antônino que sempre frequenta o Centro Cultural. É como se fosse um patrimônio vivo daquele local.             Trocamos algumas idéias e fomos para a fila que fica no térreo, pegar nosso ingresso que era gratuito. Pouca gente para ver as apresentações devido ao horário.
Se dirigimos ao Teatro do BNB e fomos para a segunda fileira. A Banda ainda ensaiando e testando os equipamentos. Eles começaram sei explicar nada, só o Rock começou a rolar, com o seu som pesado, era a banda Black Masses couver do Mercyfull Fate que é uma banda de heavy metal da Dinamarca formada em 1981 e é citada entre as influências do black metal, thrash metal, power metal e metal progressivo. As músicas são caracterizadas por estruturas complexas, virtuose nas guitarras e falsetes altíssimos executados pelo vocalista King Diamond.(wikipédia).
             Já Black Masses na sua tradução é Missa Negra que é uma cerimônia supostamente celebrada durante o Sabbath das Bruxas , que era um sacrilégio paródia do Catholic Mass . Seu principal objetivo foi a profanação da hóstia, embora não haja acordo entre os autores sobre como anfitriões foram obtidos ou profanado;. a idéia mais comum é que eles foram profanados por meio de algum ritual relacionado às práticas sexuais. Os autores também discordam sobre quais os ritos foram realizados durante a cerimônia. Alguns escritores medievais acreditavam que o anfitrião foi substituído por um sapo, um nabo ou um pedaço de carne seca, mas a maioria dos juízes e autores acreditava que hospeda verdade foram dadas por Christian sacerdotes, que tinha feito pactos diabólicos, para os atendentes do sábado para ser profanado por eles. 
            Não está claro se a Missa Negra foi comemorado sempre nos tempos medievais, os trabalhos referentes a eles são fontes sensacionalistas e pouco confiáveis, como o Malleus Maleficarum , e isso pode ter servido apenas como um ato chocante com a qual a acusar inimigos. (wikipédia)
             Não está claro se a banda local Black Masses quer realmente imitar em tudo a banda dinamarquesa e se também prática esses rituais medievais, porém as músicas e o estilo da banda é caricato, com o vocalista fazendo gestos e cantando com o microfone acoplado numa cruz feita de ossos humanos, de plástico.
            Depois dessa apresentação dei um tempo para almoçar e consegui pegar ingresso com meu amigo Antonino para o show da banda Síntese que é um estilo de Rock Alternativo. Muito parecido com algumas bandas de sucesso como Capital Inicial e Legião Urbana. Deu para perceber que os fãs estavam presentes e cantando de cor as músicas.
            Alías nesse festival é raro uma banda que não tem parte do público como fã clube. Sejam amigos, namorados (as), parentes. Sempre interagindo e tornando a apresentação mais dinâmica.
Os Malditos Rock
             A banda a seguir foi Os Malditos Rock Band que subiu ao palco de 15h25, com mais músicas autorais e um som também pesado. 
 Como há minha semana estava também me dedicando a estudar para concurso, só voltei ao BNB na sexta passada e fui ver 16h20 2 Polos (RN).
            Depois as 17h15 vieram a banda Levant do mesmo estilo da anterior.
             É bem interessante o público que frequenta esse evento. Tem gente que só aparece uma vez por ano no BNB, só para o festival de Rock Cordel, depois ninguém mais ver esse povo por aqui. O BNB para quem não conhece é um espaço fechado de ar-condicionado dividido em local de exposição, teatro, Sala de Cinema, biblioteca.
             Um espaço quase impróprio para o Rock Cordel, pois a galera que gosta de tomar umas fica na praça ao lado fumando e bebendo e na hora dos shows que lhes interessam eles entram para o Teatro, onde não se pode nem beber água.
             Fica um guarda dentro olhando se alguém transgride algo. Acho meio parecido com a ditadura onde sempre tinha alguém da censura dentro das casas de espetáculo. Todos têm que ficar sentados nas cadeiras confortáveis. Parece um saco de se ver. Mas as regras estão lá e quem não cumprir: fora!
             Vendo essas regras em um festival de Rock que já foi lugar de transgredir as regras é meio estranho. Mas fora esses detalhes é um bom festival para apreciar sentadas as novas bandas locais e também de outros estados tocarem muito.
             Ontem fui ao centro da cidade de Fortaleza almoçar com uma jovem que nem apareceu. Mas meu pai e minha irmã que estava comprando material escolar para o colégio do seu filho de 14 anos que estuda no Antares, foram almoçar comigo. Fiquei impressionado com o preço do material escolar: três mil e duzentos e cinquenta reais.
            Depois do almoço fui ao Centro Cultural BNB, mas um dia do festival e levei meu pai, eram 14h30, estava previsto para tocar a banda Noite em Moscou de Pernambuco, mas apareceu outra acho que o nome é Mister Beat, couver dos Beathes. Foi um sucesso uma banda nova de cover e meu pai adorou. 
Banda Mezzo

             Depois às 15h25 tocou a banda Mezzo que tocou clássicos do Rock, mais estilo Heavy Metal, como Led Zeplin, algumas que nem me lembro o nome e Pink Floyd que é Rock Progressivo.
            Dei uma passada no Pré-Carnaval da Praia de Iracema, que estava muito lotado, com trio elétrico, batucada, muita gata. E no anfiteatro do Dragão do Mar os preparativos para o show. 
Kame Rider
             Às 18h30 começou a tocar a Banda Kame Rider que toca músicas dos desenhos animados japoneses. A turma se empolgou e dançou muito, naquele estilo, empurra, empurra do Rock. Eu nunca fui fã, das músicas, mas gostava dos desenhos, como Jaspion, Giraia e outros.
             Sinais Invertidos do Pará começou 19h25 a tocar as suas músicas autorais, dum estilo Pop que não empolgou muito o público que não conhecia suas músicas. Era uma balada boa e que foi melhor quando começaram a distribuir CD`s. 
            O melhor que vi foi Mafalda Morfina com uma cantora bem empolgada e um público de fãs que conhecia cada letra das músicas da banda. É daqueles cantores que se apaixona só de ve-lá no desempenho de caras e bocas e movidas de pernas.
            Talma & Gadelha (RN) foi o último que vi, pois já era tarde e tinha que ir para casa. Uma banda bem estilo Pop Rock, mas com a batida forte e um coro de vozes, fazendo o povo dançarem e sacudir a cabeça.
             Tinha perto de mil pessoas no Dragão acompanhando os Shows. Diferente do BNB, as pessoas bebiam sua cerveja, seu vinho, fumava sua maconha, seu cigarro de nicotina e curtia sua festa numa boa.

Postar um comentário