segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Cesare Battisti no Pré-Lançamento de livro em Fortaleza





Quando olho para o mundo percebo como vemos as coisas distorcidas através da mídia que tenta fazer o jogo de quem detém o poder. Caso que vemos é do Italiano Cesare Battisti que está nesta noite em Fortaleza onde fez no ADUFC na Avenida na Universidade em Fortaleza o pré-lançamento do livro “Ao Pé do Muro” que encerra uma trilogia que conta através da literatura a estória de Antônio personagem fictício que se confunde com o próprio autor. Pois foi escrito enquanto Cesare estava preso na Superintendência da Policia Federal em Brasília. Para o autor o personagem vive das lembranças da imigração (fuga) para o Brasil e se passa entre Rio de Janeiro e Brasília, nele os momentos de cárcere.

            Para Cesare o nome ao Pé do Muro vem por causa de como foi feito o livro, durante as duas horas diárias em que tinha para tomar banho de sol juntamente com os demais 20 presos. Antes desse livro houve outros dois. O primeiro “Fuga Sem Fim” relata a sua saída da França onde estava refugiado para o México. Aliás, a fuga da França foi devido a subida ao poder de Sarkozy que é de extrema direita e com um acordo com o fascista Berlusconi queria extraditá-lo para Itália onde lá estava condenado a prisão perpetua. O Segundo livro “Ser Bambu” que tem referência ao próprio nome do livro.

 Rosa da Fonseca mediadora da mesa de debates lembra que o primeiro aniversário de Cesare fora da prisão no Brasil está sendo hoje quando ele completa 57 anos em Fortaleza. Maria Luiza um das debatedoras observou que quando soube da história de Cesare, foi a Paris investigar mais a fundo sobre a história dele. Leu A Sociedade do Espetáculo de Guy Debord onde conheceu a época de chumbo da ditadura fascista na Itália. Segundo ela Battisti fora condenado por lutar contra esse regime.
            
Holanda Cesare Battisti
Outro presente foi o advogado do Piauí Reginaldo Furtado que pertencia ao Conselho Federal da OAB quando chegou as suas mãos a relatoria do processo de Cesare Battisti. No caso de Battisti ele teria sido beneficiado pela delação premiada. Reginaldo observou que todo o Processo era conturbado pela mídia que escondia que Cesare na primeira vez que foi preso foi condenado a 13 anos por ter participado de movimentos subversivos. Posteriormente jogaram que ele tinha 04 assassinatos e foi condenado como criminoso comum, no entanto o caso era de crime político. Porém quem realmente cometeu os crimes foram os companheiros de Cesare Battisti.
Carlos Emanuel e Cesare Battisti



Reginaldo lembrou que no julgamento no STF estava presente o Ministro da Justiça da Itália, dando claro indicio de que não é crime comum, mas político devido à presença da autoridade política.
            Cesare Battisti citou os 4 anos e meio de luta onde a sua liberdade foi uma vitória da solidariedade. Cesare lembrou que não pode fazer política no Brasil, pois juridicamente está limitado. Para ele escrever vem antes da política e que veio ao Brasil por vontade própria depois de nove anos no México.



Decisão histórica: Em 31 de dezembro, mediante nota divulgada pelo Ministro das Relações ExterioresCelso Amorim, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou que decidira não conceder a extradição do ex-militante italiano.[9] A decisão teve grande destaque nos meios de comunicação italianos, e foi duramente criticada pela imprensa e pelo governo do país, que anunciou a convocação do seu embaixador em Brasília
Em 8 de junho de 2011, o Supremo Tribunal Federal finalmente decidiu, por 6 votos a 3, pela libertação de Battisti.Fonte Wikipedia
.  
Postar um comentário