sábado, 13 de novembro de 2010

A cultura e suas fusões

Em 1500 os portugueses ansiando encontrar mais terras para o seu mercantilismo, desbravaram os mares e chegou ao Brasil, Pedro Álvares Cabral foi à cabeça. Na terra brasileira índios e sua cultura nativa. Os portugueses com sua grande frota de navios foram chegando e aos poucos dominando os silvícolas.
             Simplesmente fomos invadidos de uma cultura alheia a nossa não foram respeitados os povos que moravam no Brasil. Os símbolos indígenas hoje é uma lenda, o culto uma “profanação” a religião oficial trazida a nós quase na marra a católica.
             Quando Marques de Pombal reformou o ensino, separando a educação tirando das mãos dos jesuítas, ouve uma revolução. O ensino foi delegado ao leigo, que trouxe os ensinamentos mais amplos, claro ainda sendo a visão européia.
             Com o passar do tempo nossa cultura se fundiu com os holandeses, espanhóis, alemães, através de briga por território ou mesmo imigração de famílias fugindo de crises ou de guerras na Europa.
             Tivemos depois as fusões de nossa cultura com os japoneses, africanos na época da escravidão. Hoje somos um povo muito junto e misturado. Aqui em Fortaleza é um grande exemplo. Temos gente de todo o país e alguns estrangeiros morando por aqui. O grande perigo não é a vinda de povos alheios a nossa cultura para cá.
             Temos outro grande problema é quando somos obrigados muitas vezes a sermos anulados por uma cultura estrangeira fast food, enlatada. Até o forró da nossa origem hoje é uma mistura eletrônica descaracterizada, que não têm letra interessante, ou é pornográfica, ou traz músicas consagradas internacionalmente com traduções chulas.
            Também outra coisa ruim que é trazida para cá é a visão dos turistas europeus de que só temos turismo ligado ao sexo. Eles vêm buscar coisas que talvez lá seja mais reprimido e aqui é liberado
Postar um comentário