quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Muitas Memórias

Analisando muitas realidades, voltando então o olhar para minha própria experiência, em que volto os pensamentos para o passado e lembro-me da história de meu avô Assis, que eu mesmo já pensei em pesquisar toda a sua vida e retratar para a sociedade.
. Talvez muita gente possa não conhecer meu avô, mas ele foi um dos primeiros a possuir oficina mecânica de carros em Fortaleza, lá na rua: Castro e Silva, que dá em frente para o Cemitério São João Batista.
. Cresci ouvindo grandes estórias dentro da família sobre meu avô. Que ele tinha clientes e amigos ilustres como o Governador César Cals, Paulino Rocha comentarista de futebol e até o Rei do Baião Luiz Gonzaga, que chegou a pegar meu pai nos braços quando era um bebê.
. Uma biografia real, que pensei escrever do Mestre Assis, como era conhecido meu avô; real pois não pretendia esconder os defeitos que ele tinha, nem exagerá-los . Lembro-me que a estória que sabíamos na família é que meu avô tinha perdido tudo (restaurante e oficina), porque havia apostado o dinheiro que ele tinha recebido com a venda dos seus negócios em jogos de azar. Ainda lembro-me dos troféus expostos na sala de estar, ganhos no campeonato cearense de sueca. Foi até Presidente da Federação Cearense de Sueca.
. Também tive como experiência em biografia, quando tentei não sem porque motivo escrever uma autobiografia minha. Não era um diário, mas contava acontecimentos da minha infância e da minha juventude e parte da fase adulta.
. Fiz uma tentativa porque imaginava em fazer e contar estórias de pessoas que fossem importantes para mim e queria que muitas outras pessoas conhecessem essas histórias. Via que através do registro por mim da história do meu avô, da minha história, talvez de algum lugar que me marcou, isso pudesse quem sabe interferir na vida de alguém que lê-se e talvez se identificasse com aquilo que eu contaria.
Postar um comentário