terça-feira, 24 de agosto de 2010

Um sonho de héroi

Citando um trecho da música do Legião Urbana, Pais e Filhos: “...Você culpa seus pais por tudo isso é absurdo, são crianças como você, o que você vai ser quando você crescer?...”.Lembro que na minha infância, ainda morando com meus pais, acreditava na figura do herói e nela via meu pai como meu grande ídolo.
. Queria ser como ele em tudo, o comparava aos grandes super-heróis da TV. Sempre olhava para o ator Tony Ramos e via meu pai, sua maneira de ser honesto bom marido, etc. Com o passar dos anos, de toda decepção que senti com tudo que ele fez a minha mãe, passei a ter ódio dele. Não queria nem conversa com ele. Pensava até que se ele morresse seria melhor para todos.
. Depois de passados longos anos. Minha mãe já tendo reconstruído sua vida no interior e meu pai casando várias vezes e tentando mais uma vez com uma nova família, eu morando com minha mulher, consegui refleti e vê que meu pai era alguém que tentou, errou, mas prosseguiu lutando e eu fiquei impedido de crescer, por não ter aceitado a realidade de que os heróis são de carne e osso e às vezes pessoas com muitos defeitos.
. Analisei também que sempre me decepcionava nos lugares que andava, pois passava sempre a vê os lideres como gente acima de nós. Acabei saindo da religião, do grupo político, porque os meus heróis eram pessoas que me decepcionavam constantemente.
. Comecei a olhar pro anti-herói que eu conhecia e pude perceber que essas figuras eram mais interessantes. Tinha um amigo de mais de 60 anos de idade e que em uma fase da minha vida se tornou amigo de bar. Era bem comunicativo esse senhor, contava vantagem em tudo, dizia que conquistava várias mulheres, que tinha viajado por todo o Brasil.
. Sempre respeitava suas estórias, apesar de conhecer bem sua verdadeira realidade e vê que era bem distante daquilo que ele dizia. Gostava desse herói ao avesso, porque era mais próximo de mim. Se falhasse era algo de se esperar e não me decepcionaria.
Postar um comentário