quinta-feira, 23 de julho de 2009

Chuva molha o meu caminho

Escrever nem sempre é fácil. Temos que tirar dos nossos sentimentos e emoções um pouco de razão. Temos que expressar coisas que às vezes parecem inexplicáveis. Olha que imagem mais transfigurada:


O que ela diz pra mim? Realmente não parei pra pensar. Só sei que dentro de mim toda vez que chove, acontece algo de reflexivo, o tempo para um pouco; as pessoas param de correr atrás de algo que está sempre distante e passa a se correr com medo de se molhar, ou mesmo se para de correr, entregue a tranquildade do tempo.
            Volto no passado e lembro-me de algumas tardes da minha adolescência em que eu ficava olhando pra pessoas que saiam nas ruas e alegres jovens, adultos, crianças, mergulhavam debaixo das bicas acidentais de água que caiam das casas.

Lembro das crianças e mesmo eu, que corria atrás da bola no asfalto molhado da Rua: Tereza Cristina, correndo e parando quando o ônibus passava e voltando nessa constante alegria de jogar um futebol de moleque; que bons tempos!!!!
Postar um comentário