domingo, 3 de maio de 2009

A linha invisivel



Existe algo que faz muito próximo, os sentimentos de amor e ódio. Uma linha que não é fácil enxergar separa coisas tão diferentes e contrárias. Vejamos como exemplos os times de futebol, são rivais, as suas torcidas se odeiam, no entanto eles não vivem um sem o outro.


Isso foi traduzido na final do campeonato cearense de 2009, em que no estádio Castelão dois times rivais históricos: Ceará x Fortaleza. Uma disputa fantástica dentro de campo e nas arquibancadas.
            Agora imagine o ódio que existe entre eles, como é grande, porém pense se não fosse a final entre os dois. Seria com certeza mais pobre menos emocionante. A ponto do comentarista da TV, que ta na cara que torce Fortaleza, dizer que ama o clássico rei, ou seja, ama também o seu rival Ceará.
            Saindo dessa perspectiva do futebol e indo para outras realidades veja como essa lógica funciona. Um exemplo é o sistema econômico vigente no mundo atual O capitalismo industrial, que surgiu e junto com ele o seu maior rival o comunismo (socialismo).
            O capitalismo, base para o capitalista reinar e para lucrar, trás junto os operários que reunidos se organizam e fazem um movimento oposto ao do seu patrão. Mas sem capitalismo, não vai existir mais comunismo, um não vive sem o outro, porém se odeiam.

            No caso do relacionamento afetivo, as pessoas quando se conhecem, fazem juras de amor e fidelidade, porém quando não dão mais certo e existe uma intensidade grande eles ficam se agredindo, às vezes até a morte. Porém se conseguirem vencer as diferenças podem viver juntos.
Postar um comentário