domingo, 3 de maio de 2009

Temos que fazer algo



Durante muitos anos da nossa vida, caminhamos sem saber para onde ir, isso talvez porque não tivemos a preparação adequada do que era certo, ou errado. Não do ponto de vista da moral, mas do lado subjetivo dos nossos sonhos.


Quantos sonhos não são enterrados na nossa existência aqui para que possamos ter uma agenda positiva na vida, como por exemplo, colocar comida na boca dos filhos e da esposa. Os filhos dos operários na sua maioria não têm condição de dar uma educação boa aos seus filhos, pois eles têm que ir para a escola pública e nessa escola não tem uma preparação para uma vida melhor.


            A maioria dos filhos de operários como vocês sabem, têm que na adolescência procurar alguma coisa pra fazer, para completar a renda familiar e abandonam o estudo. Enquanto os filhos dos burgueses (de classe média pra cima) estudam até tarde, pois os pais têm como bancar e eles despreocupados, se formam e vão para carreiras mais promissoras, perpetuando a classe deles.
            Raros são os casos em que um filho da pobreza, consegue sair da sua situação e dá uma guinada na sua vida. É como aquele filme que no Brasil chegou com o nome de "A procura da Felicidade", estrelado por Will Smith, que conta a estória de um homem que passa necessidade mais nunca desiste, chega a morar em um albergue e com muito esforço, chega ao sucesso.


Enquanto ele se matava de trabalhar, quanto dá idade dele e ricos, ou classe média, não estavam curtindo a vida e aproveitando as coisas boas. Nesse momento devemos fazer uma reflexão se esse modelo em que uns trabalham para que outros vivam em luxo. Ou mudamos agora, ou amanhã pode ser um de nossos filhos de um desses lados; na miséria, ou sendo sequestrado.
Postar um comentário