segunda-feira, 24 de julho de 2017

Elói, meia armador, campeão mundial de clubes pelo Porto e com passagens no Fortaleza e Ceará


Bom dia, Boa tarde, Boa noite! Meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza chegamos a sua casa, com o FutCearaCast. Um podcast que fala de futebol, de história, de notícias dos clubes, de entrevistas e demais curiosidades do futebol cearense.
Sabe quando a gente vai ao estádio e sai de lá encantado? São cenas incríveis numa época que não tinha ainda a febre das redes sociais. Essa era minha adolescência, essa era a década de 90, tempos de casa cheia, grandes clássicos e um futebol de encher os olhos dentro de campo. Entre esses craques um deles era gênio, o meia armador Francisco Chagas Eloi.
       Com passagens marcantes em Fortaleza e Ceará, o jogador e hoje técnico, nasceu em Andradina (SP) e iniciou profissionalmente pelo Juventus, depois passou pela Portuguesa, Inter de Limeira, Santos, Cruzeiro, America (RJ), Vasco da Gama (RJ), onde jogou ao lado de Roberto Dinamite, Genoa e Botafogo.
            Mas foi no Porto, que o jogador brasileiro teve suas maiores conquistas. A principal foi a Liga dos Campeões de 1986-1987, quando venceu na primeira fase, o Rabat Ajax, duas vezes 1 x 0 e 9 x 0. Nesse primeiro jogo Eloi fez um dos gols da goleada lusitana. Nesse jogo também tem gol de Celso Gavião, brasileiro, também com passagens no futebol cearense.

            Nessa segunda fase, o Porto perdeu para o Viena por 1 x 0 e depois venceu por 3 x 0. Nas quartas de finais, o Porto de Eloi venceu por 1 x 0 e empatou 1 x 1 com o Brondby. Nas semifinais venceu o Dinamo de Kiev duas vezes pelo mesmo placar de 2 x 1.
            Na grande final diante de 62 mil pessoas o Porto foi campeão vencendo o Bayer de Munique, por 2 x 1. Elói não estava nesse jogo, o jogador havia rescindido com o clube português antes do grande jogo decisivo, mas deixou sua marca em 28 jogos e 12 gols. Ele se arrepende até hoje de ter vindo embora antes, porque o salário estava atrasado.
            Em um grande jogo em estádio lotado, em Chaves a equipe local perdeu por 2 x 0 com destaque para Elói.
           
            Elói também fez o gol no jogo do título do Campeonato Português contra o Covilhã (1985-1986).
            Terceiro tempo: entrevista com Milton Neves: http://terceirotempo.bol.uol.com.br/que-fim-levou/eloi-3152
            Em 1993, quando Elói desembarcou para jogar por aqui em terras alencarinas, ele foi destaque tanto em derrotas como vitórias. Fez o gol de honra, na derrota de 3 x 1 diante do Ceará, no Campeonato Brasileiro deste ano. Um dos grande jogos do craque temos , o clássico entre Fortaleza e Ferroviário, 5 x 4, para o leão e quatro gols importante de Elói.
            
            Em 1994, Elói veio para o Ceará e sem saber faria parte de um dos melhores times da história alvinegra chegando a final da Copa do Brasil, contra o Grêmio de Felipão e perdendo por 1 x 0, com aquele pênalti polêmico que Godoy não marcou em cima de Sérgio Alves.
            Em 1994 fez parte do grande time do Ceará que foi vice campeão da Copa do Brasil, perdendo só na final para o Grêmio de Felipão, num placar mínimo e num penalty polemico em cima de Sérgio Alves não marcado por Godoy.
            Elói fez alguns gols pelo Ceará como no empate em 2 x 2 com o Guarani de Juazeiro, vitória de 2 x 0 sobre o Itapipoca, vitória de 2 x 0 sobre o Tiradentes. Todos pelo Campeonato Cearense de 1994.
            Narração e edição: Carlinhos Alves, agradecimento a sua audiência e sua sintonia, abraço
           
           
Fonte:

            Terceiro Tempo: http://terceirotempo.bol.uol.com.br/que-fim-levou/eloi-3152


    

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Republiqueta?

Qual a justiça que existe no Brasil? Uma que trata todos com igualdade ou ela apenas atinge, pobre, gay e a esquerda?


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Nem eu, nem nada


     Penso, logo existo, já dizia René Descartes em seu livro, “Discurso do método”, depois os mais ilustres iluministas que precederam a Revolução Francesa, já pensava o homem individual, como responsável por si mesmo e por seu destino. E como dizia um amigo meu de trabalho, “primeiro, eu, segundo eu, terceiro eu, e o quarto está de férias”. Seria o velho manual do capitalismo, que faz com que as pessoas pensem em si em primeiro lugar, a tal da meritocracia.

     Eu sempre cresci sobre essa premissa do pensamento como criador de realidades na nossa vida. Meu pai Assis tinha aqueles livros da força do pensamento positivo, eu não acreditava muito, pois ele lia esses manuais, mas a vida dele permanecia pobre financeiramente e mais recentemente ele é um dos melhores vendedores de passeios turísticos e ainda não vejo mudança material na sua vida.
     Mas com o passar do tempo eu acabei também mergulhando nesse universo de acreditar, como o livro e documentário: O Segredo, diz, que tudo pode acontecer se a mente crer primeiro e de certa forma isso foi ocorrendo comigo. Eu consegui 12 anos depois de tentar uma vaga no curso de Jornalismo e me formei. Outras vezes nesse meu trabalho de agente de turismo, consegui “milagres”, quando a mente criou necessidades e supriu-as. Por exemplo, alguns momentos eu devendo dinheiro acima do que eu podia pagar naquela semana, ou mês e pela força criativa eu cheguei ao trabalho na Beira-Mar e me foquei e consegui justamente o que precisava, seja, R$ 450,00, ou R$ 250,00, o importante é que a visualização daquela meta fazia todo meu corpo agir em busca de conseguir vencer certas barreiras e chegar ao destino pretendido.
     Sempre queria ter um carro, já até tive um fusca que nunca saiu da garagem e repassei para um amigo meu vender na sucata. Mas depois de tirar a carteira de motorista em 2008, ou seja, nove anos antes desta postagem, eu ainda não tive uma prática na direção de um automóvel. Mas isso mudou esse ano.
     Eu quando vi O Segredo pensei em imaginar eu dentro do carro e foi assim que muitas vezes me vi e sonhei por anos dirigindo e sabia que conseguiria ter esse bem, na minha vida como uma utilidade para o uso diário. Mas nunca as vendas davam para eu dar uma entrada, ou mesmo juntar para comprar o automóvel velho. Mas nunca deixava de sonhar, foi quando numa noite de 2016, me veio a surpresa de minha esposa ter um pequeno valor guardado, que ela havia juntado ainda do tempo que trabalhara com carteira assinada.
     Então decidimos ir atrás de um automóvel compatível com esse valor que ela possuía. Pesquisamos na OLX, que no fim nos levou a muitos golpistas, chegamos a ir a Aracati em busca desse carro e chegamos lá não existia, era golpe. Passamos um dia todo indo as revendedoras de carro, na Avenida José Bastos e outra vez numa avenida próximo a Ceasa em procura deste sonho. Mas ainda não tinha chegado a nossa vez.
     Outra vez minha esposa encontrou um carro de um casal na CE 040 e fomos lá ver e acabou que não deu certo, não foi do gosto da minha mulher. Foi quando eu vi na internet em um site de noticias local, a informação de que haveria um leilão. Anotei a data, o endereço e marcamos de ir participar desse arremate. Nunca antes tinha participado de tal evento, só tinha visto pela TV. No dia marcado fomos só por curiosidade sem grandes expectativas. Lá tinha muitos homens que já tinham pratica de participar de leilões e estavam ali com objetivo de comprar e revender.
     Fomos no impulso e quando vimos estávamos saindo de lá com o Corsa Spirit 2006, eu nem me lembro como foi direito, só sei que eu levantei a placa com a numeração do leilão e depois de disputar com um senhor que já tinha arrematado outros bens, acabei conseguindo um bom valor, que no fim do dia, nós pagamos e ficamos ainda esperando duas semanas para pegar o carro em um depósito do leiloeiro. Por motivos particulares não vou falar o nome do leilão, mas tivemos um pouco de dor de cabeça.
     Primeiro talvez por inexperiência nossa, que não fomos antes ver as condições do carro no depósito e não sabíamos que ele estava parado e tínhamos que colocar para funcionar. Como já tinha levantado a placa, não tinha, mas como voltar atrás. Então trouxemos num reboque o carro e levamos a uma oficina que em pouco mais de uma semana, colocou o automóvel em perfeito funcionamento, porém ainda não tinha chegado a documentação da transferência para passarmos para o nome da minha esposa, só quando completou um mês que a documentação chegou aí foi que eu procurei o despachante e então, mas um mês de luta, reclamações, confusão, na tentativa de regularizar tudo no Detran, não sabíamos quem era mais enrolado, o leilão, ou o despachante, sei que depois de certa pressão e ameaça de levarmos a justiça o caso, a transferência foi concluída.
     Faltou ainda levar a nas autopeças e trocar o parabrisa, que estava trincado por uma coisa que parecia um tiro que o antigo proprietário deve ter levado como o corsa veio do Tribunal de Justiça, ele veio com multas zeradas. Já com ele há emplacado há algumas semanas, estou agora podendo usufruir desse bem, com alguns estancamentos e alguns reparos que ainda necessita de um carro de segunda mão.
     Ainda há a desconfiança das pessoas porque ainda não conduzo com primor o veiculo, mas cada dia vou aprendendo um pouco mais. Ninguém nasceu sabendo dirigir. O mais importante foi que o sonho da mente se realizou. Hoje estou com outro sonho em mente e que só sossego quando realizar, a publicação do livro, um Romance, chamado Caminhos Marginais, que já está online, mas que não foi publicado por uma editora física.
    
      


terça-feira, 18 de julho de 2017

Livro: Caminhos Marginais capitulo 3 em áudio


Pensando em pessoas com deficiência visual, ou que querem mesmo ouvir o livro na voz de Raquel, enquanto malha, faz viagens extensas, a equipe que cuida da imagem do Romance Caminhos Marginais teve essa ideia de trazer para você essa versão para escutar.



Abaixo segue os links para você comprar a versão PDF ou impressa e ler com tranquilidade a obra completa: Versão impressa Amazon: https://www.amazon.es/dp/1520526571
 Versão PDF Amazon Kindle: https://www.amazon.com.br/dp/B01N29XMTK
 Versão imprensa e PDF no site Clube de Autores: https://www.clubedeautores.com.br/book/220511--Caminhos_Marginais?topic=arteseentretenimento#.WVt5BRXyvIV
Versão impressa em inglês Amazon: https://www.amazon.com/dp/1521748195
Versão PDF em inglês Amazon: https://www.amazon.com.br/dp/B073P9C5KV

domingo, 16 de julho de 2017

Romance Caminhos Marginais: ajude a publicar esse livro

video



Veja a forma de colaborar com essa ideia de um livro de um escritor cearense. Conto com sua ajuda. Abaixo site de financiamento coletivo Catarse e logo após minha conta.
Catarse: Romance Caminhos Marginais:
Link: https://www.catarse.me/romance_caminhos_marginais_30b0
Conta Poupança: Carlos Emanuel Bezerra Alves
Caixa Econômica Federal
Agência: 1922
Conta: 2284-2

Concerteza você já ajudou outros projetos. Peço que dê um voto de confiança e ajuda esse também.

sábado, 15 de julho de 2017

Clássico das Cores: Confrontos entre Fortaleza e Ferroviário


Bom dia, Boa tarde, Boa noite! Meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza chegamos a sua casa, com o FutCearaCast. Um podcast que fala de futebol, de história, de notícias dos clubes, de entrevistas e demais curiosidades do futebol cearense.
Hoje vamos sobre o Clássico das Cores do futebol cearense

       Para um público de pouco mais de dez mil pessoas, a última partida entre Ferroviário e Fortaleza foi no dia 19 de abril e terminou num empate sem gols, em 2017 na terceira partida do playoff e classificou a equipe coral para a final do campeonato cearense depois de 19 anos e de quebra uma vaga na Copa do Brasil, Copa do Nordeste e Série D. O tubarão da Barra havia vencido a primeira partida de 2 x 0 e empatado a segunda em 1 x 1, eliminando o Leão do Pici.
            Na primeira partida da história dos confrontos entre as duas equipes ocorreu em 1938, quando o Fortaleza venceu por 2 x 0. Foram ao todo, 314 jogos, com 129 vitórias do Leão e 94 do Ferrão, com 91 empates, um total de 877 gols. O tricolor do Pici fez 468 gols e o tricolor da Barra fez 409 gols.
            

            Entre 1999 e 2007, o Fortaleza estabeleceu o maior tabu da história do clássico das cores, 27 partidas sem perder para o rival, com 21 vitórias e seis empates. Já o tubarão da Barra estabeleceu 18 jogos sem perder nesses confrontos com o rival colorido, entre1978 e 1981, com oito vitórias e 10 empates.
          
            A maior sequência de vitória leonina foi entre 1999 a 2002, com onze vitórias. Já o Ferroviário venceu nove seguidas entre 1940 e 1943.
                       Dentre as maiores goleadas do clássico das cores se destacam, o 5 x 0 que o leão aplicou no rival em 1947. O Ferroviário aplicou uma goleada homérica por 6 x 1, no Campeonato Cearense de 1951, depois ainda goleou o leão, por 5 x 0, em outras quatro partidas.
            O Fortaleza venceu o Ferroviário em oito finais e perdeu apenas uma final.
            Narração e edição: Carlinhos Alves, agradecimento a sua audiência e sua sintonia, abraço
           
           
Fonte:
           










           
           















quarta-feira, 12 de julho de 2017

Caminhos Marginais: episódio 4: O Literato



                
            Bom dia, Boa tarde, Boa Noite, meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza, com mais uma edição do podcast, O Literato, com resenhas de livros, comentários sobre filmes e séries baseados em literatura escrita, além de entrevistas, de memórias culturais e histórias de músicas e poesias que marcaram todas as épocas.

            No 4° podcast, vamos falar sobre o livro: Caminhos Marginais, um Romance de Carlinhos Alves, escrito em 2003 e editado e publicado na internet pela primeira vez em 2016, no site Clube de Autores, hoje se encontra também no site da Amazon em português e uma versão em inglês.
            São algumas edições diferentes, depende da plataforma em que se encontra, ele tem oito capítulos, no site da Amazon Kindle, são 174 páginas, no site do Clube de Autores são 208 páginas.
            Independente do formato, o conteúdo é o mesmo, conta a estória de Rafael Medeiros, como próprio título diz, ele se sente marginalizado da sociedade, sua trajetória é de um ser humano atormentando pela infância cheia de problemas, uma adolescência conturbada, uma vida cheia de percalços e como ele lida com tudo isso.
            Não se encaixar, não se sentir pertencente ao mundo, não querer seguir a lógica da vida, essas são a principais lições que o livro tenta passar.
            O autor, Carlinhos Alves, sou eu, nasci em Fortaleza, no Ceará, em 27 de julho de 1979. Formei-me em Jornalismo na Fanor em 2015, sou escritor desde cedo. Sempre gostei muito de escrever. Antes escrevia em meu caderno e me comunicava por cartas com as pessoas que eu mais gostava como meu irmão Neto Alves e algumas paqueras. Em 2003 em 13 dias escrevi o livro Caminhos Marginais em um caderno que ainda guardo, mas somente 13 anos depois a ideia saiu do papel e virou livro.
            Desde 2001, mais ou menos, eu comecei a participar de um fórum de debates do site do O Povo, depois criei meu blog no UOL, depois no Globo.com, por último no Blogger que comecei a escrever em 2007 e até 2016, escrevi crônicas, poesias, contos, reportagens, textos opinativos e muitos mais, também alguns textos meus estavam no site Recanto das Letras e resolvi reunir nove anos de textos da internet e criei um Livro Linguarudos, que hoje está disponível no site Clube de Autores, ISSUU e Recanto das Letras.
            Tive atuação política de esquerda, mas nunca fui adiante, acabei deixando a participação política, mas hoje ainda debato bastante na internet, sobre os acontecimentos que nos cercam.
            Criei há poucos meses o podcast: FutCearaCast que semanalmente trás um pouco da história do futebol cearense, áudio e texto.
            Quando escrevi a estória para participar de um concurso literário não imaginava que, 14 anos depois ainda estaria na busca por publicar ele em versão impressa em alguma editora nacional. Apesar de ter essas plataformas online, que ajudam a difundir o nome, receio que não é o bastante para que o trabalho seja reconhecido. Criei campanhas no Kinckante e mais recentemente no Catarse pedindo ajuda para realizar esse sonho de escritor.
            Vou deixar abaixo deste texto, links, para você poder comprar o livro, participar da campanha de financiamento coletivo desta obra.
            Muitos de nós se identificamos com estórias tristes, mas acreditamos que podemos nos superar e descobrir um novo caminho, essa estória de Rafael Medeiros fala disso superação, não temer e não desistir.
            Agradecimentos a toda audiência deste podcast. Edição e narração Carlinhos Alves, na busca por desbravar o mundo imaginário, às vezes real e duro e às vezes poético e belo, abraço e até uma próxima vez.
           

            

terça-feira, 11 de julho de 2017

Livro: Caminhos Marginais capitulo 2 em áudio


Pensando em pessoas com deficiência visual, ou que querem mesmo ouvir o livro na voz de Raquel, enquanto malha, faz viagens extensas, a equipe que cuida da imagem do Romance Caminhos Marginais teve essa ideia de trazer para você essa versão para escutar.

Abaixo segue os links para você comprar a versão PDF ou impressa e ler com tranquilidade a obra completa: Versão impressa Amazon: https://www.amazon.es/dp/1520526571
 Versão PDF Amazon Kindle: https://www.amazon.com.br/dp/B01N29XMTK
 Versão imprensa e PDF no site Clube de Autores: https://www.clubedeautores.com.br/book/220511--Caminhos_Marginais?topic=arteseentretenimento#.WVt5BRXyvIV
Versão impressa em inglês Amazon: https://www.amazon.com/dp/1521748195
Versão PDF em inglês Amazon: https://www.amazon.com.br/dp/B073P9C5KV

sábado, 8 de julho de 2017

Mário Jardel: artilheiro na Europa e má vida fora de campo


Bom dia, Boa tarde, Boa noite! Meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza chegamos a sua casa, com o FutCearaCast. Um podcast que fala de futebol, de história, de notícias dos clubes, de entrevistas e demais curiosidades do futebol cearense.
Hoje vamos falar sobre a carreira do jogador Super Mário Jardel
       Mário Jardel Almeida Ribeiro, como muitos atletas brasileiros teve um início de carreira brilhante e um fim lutando contra o vício. O jogador cearense que se formou nas categorias de base do Ferroviário, foi transferido logo na juventude para o Vasco da Gama, onde foi artilheiro pelo juniores da equipe carioca, da Taça Belo Horizonte de Juniores com onze gols e Copa São Paulo de Juniores com nove gols, nesse período, foi campeão sub-21 do Mundial na Austrália, pela seleção brasileira.

            Pelos profissionais do Vasco, foi campeão carioca 1993 e 1994, sendo artilheiro do Campeonato Carioca com 17 gols neste último ano.
            Sobre o comando de Felipão e em companhia de Paulo Nunes e Arce, ainda com o goleiro Darley, Jardel, foi artilheiro com 12 gols, campeão da Libertadores da América, além de ter conquistado pelo Grêmio a Recopa sulamericana, e duas vezes o campeonato gaúcho, em 1995 e 1996.

            No Porto, o jogador cearense conheceu sua melhor fase na carreira, quando foi tricampeão português bicampeão da Taça de Portugal. Ainda foi artilheiro nacional quatro vezes, 1996/1997: 30 gols, 1997/1998: 26 gols, 1998/1999:36 gols, 1990/00: 38 gols. Jardel foi artilheiro europeu e foi campeão da bola de prata 1997, ouro 1999, bronze em 2000.

            Super Mário foi para o futebol turco, Galatasaray onde anotou 24 gols e foi à final da Super Copa Europeia, mas sua passagem por Istambul foi curta, quando ele voltou ao futebol português para jogar no Sporting, onde foi campeão português novamente, vencedor de novo da bola de ouro e artilheiro com 42 gols entre 2001/2002. Nesse período ele tinha no banco de reserva e em começo de carreira o garoto Cristiano Ronaldo e ele falou em entrevista sobre o futuro melhor do mundo.
            Nesse período o jogador que era sucesso, levava também sua família a fama, sua irmã Jordana Jardel namorava o Cristiano Ronaldo e era destaque com trabalhos de manequim. Já Mário que se separou de Karen entrou num mundo de excessos com noitadas em discotecas o uso abusivo de álcool e drogas e o vício em cassinos, onde estourava a grana da época do seu apogeu.
            Depois de volta ao Brasil, o jogador não se firmou em nenhuma equipe, chegou a ser contratado pelo Palmeiras, passou pelo Newell´s Old Boys, Deportivo Alavés, Goiás, Beira Mar, Criciúma, Flamengo (PI).
            Na volta ao seu time origem, o Ferroviário marcou logo na estréia contra o Quixadá, mas os problemas extra-campo, atrapalharam e o treinador da época Arnaldo Lira, não quis mais contar com o atleta.

            Mário Jardel foi eleito em 2014 deputado estadual, pelo PSD, no Rio Grande do Sul com 41 mil votos, mas depois de denúncia do Ministério Público o ex-jogador foi acusado de  extorquir funcionários, nomear servidores fantasmas,  e desvio de verba, a operação deflagrada em novembro de 2015, chamada de Operação Gol Contra, acabou por cassar seu mandato.

            Se não tivesse tido tantos problemas fora de campo seria talvez o melhor jogador do mundo alguma vez.
            Narração e edição: Carlinhos Alves, agradecimento a sua audiência e sua sintonia, abraço
           
           
Fonte:



















           
           















terça-feira, 4 de julho de 2017

Livro: Romance: Caminhos Marginais capitulo 1 em áudio


Pensando em pessoas com deficiência visual, ou que querem mesmo ouvir o livro na voz de Raquel, enquanto malha, faz viagens extensas, a equipe que cuida da imagem do Romance Caminhos Marginais teve essa ideia de trazer para você essa versão para escutar.


Abaixo segue os links para você comprar a versão PDF ou impressa e ler com tranquilidade a obra completa:

Versão impressa Amazon: https://www.amazon.es/dp/1520526571
Versão PDF Amazon Kindle: https://www.amazon.com.br/dp/B01N29XMTK
Versão imprensa e PDF no site Clube de Autores: https://www.clubedeautores.com.br/book/220511--Caminhos_Marginais?topic=arteseentretenimento#.WVt5BRXyvIV
Versão impressa em inglês Amazon: https://www.amazon.com/dp/1521748195
Versão PDF em inglês Amazon: https://www.amazon.com.br/dp/B073P9C5KV