domingo, 19 de novembro de 2017

Rogério Ceni e seus confrontos contra as equipes cearenses


         
       Bom dia, Boa tarde, Boa noite! Meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza chegamos a sua casa, com o FutCearaCast. Um podcast que fala de futebol, futsal, futebol americano e rugby, de história, de notícias dos clubes, de entrevistas e demais curiosidades do futebol cearense em suas diversas modalidades.
       No dia 10 de novembro de 2017, o Fortaleza anunciou a contratação do ex-goleiro do São Paulo, Rogério Ceni, depois de muita insistência do presidente leonino, Marcelo Paz. Durante a carreira de jogador, Ceni enfrentou os dois principais clubes cearense, em jogos validos pela Copa do Brasil, Brasileirão, Sulamericana. Foram derrotas e vitórias e o marcante gol de pênalti que encerraria sua trajetória como maior goleiro artilheiro da história do futebol mundial.

            O primeiro confronto do Ceni contra equipes cearenses se deu na Copa do Brasil de 2001, na 2° fase, quando em jogo único no Presidente Vargas, o São Paulo não tomou conhecimento do Ceará e venceu por 4 x 2. O Ceará estava escalado pelo técnico, José Carlos Serrão, com Wilson Júnior, Dudé, Júlio César, Gilmar Serafim (Esquerdinha), Maciel (Viana), Roberto Lopes, Robson Paulo, Chico Chapecó, Robson (Sandro Gomes), Jairo Lenzi e Zezinho. Os gols do Vozão foram de Jairo Lenzi e Zezinho, para o São Paulo maçaram Júlio Baptista, Carlos Miguel, e duas vezes França.
            
            No dia 17 de abril de 2003, no Morumbi, pela 4° rodada do Brasileirão, São Paulo venceu o Fortaleza por 3 x 1, o tricolor paulista do técnico Oswaldo de Oliveira tinha Rogério Ceni, no gol, já o Leão do Pici, do técnico Ferdinando Teixeira, estava escalado com Jefferson, Fernandão, Ronaldo Angelim, Sérgio (Rogério Paulista), Chiquinho (Mazinho Loyola), Erandir, Dude, Alyson, Wendell, Wesley, Calmon, os gols da partida foram de Gabriel, Ricardinho e Reinaldo para o tricolor paulista e Chiquinho para o tricolor cearense.
           
            No dia 20 de agosto o confronto foi no Castelão e mais uma vez Ceni e companhia levaram a melhor sobre o Fortaleza. O Técnico do São Paulo era Roberto Rojas. O gols da partida foram marcado por Kléber e Rico.
           

            Dois anos depois no Morumbi, mais uma vez o São Paulo de Ceni venceu o Fortaleza, dessa vez por 3 x 2. O tricolor paulista tinha como técnico Paulo Autuori, já o Leão treinado por Hélio dos Anjos tinha a equipe formada por Bosco, Nivaldo, Alan, Amaral (Chiquinho), Marquinhos, Mazinho Lima, Lúcio (Alex Afonso), Marcelo Lopes, Fumagali, Erandir, Marcos Denner (Paulo Isidoro), os gols da partida foram de Josué, Mineiro e Amoroso para equipe paulista e Marcelo Lopes e Fumagali para o time cearense.
            No dia 27 de novembro no Castelão, Ceni sofreu sua primeira derrota para o Fortaleza. Já com Valdir Espinoza com técnico do Leão, o gol foi dele Clodoaldo, era a 41° rodada.
            
            Em 2006, foram dois jogos entre Fortaleza e São Paulo com Rogério Ceni no gol, no dia 31 de agosto, quando o São Paulo era líder da competição e o Fortaleza estava na zona de rebaixamento o jogo ficou em 1 x 1 no Morumbi, com até um pênalti desperdiçado por Ceni. Os gols foram de Rinaldo para o Leão e Lenilson para o São Paulo.
           
            Depois a vitória no Castelão do Fortaleza de 1 x 0, gol de Finazzi.
            
            Na 12° rodada do Brasileirão, no dia 31/07, o São Paulo venceu o Ceará por 2 x 1, com gols de Fernandão e Ricardo Oliveira para o tricolor paulista e Erick Flores para o vozão.
            
            A grande vitória alvinegra no Campeonato Brasileiro sobre o São Paulo de Ceni, se deu numa tarde de domingo, dia 24 de outubro de 2010, a equipe treinada por Dimas Filgueiras, que foi escalada com Michel Alves, Fabricio, Diego Sacoman, Anderson, Vicente, Boiadeiro, João Marcos, Geraldo (Careca), Michel, Washigton (Misael), Magno Alves (Javier Reina), os gols foram de Sacoman e Magno Alves.
           
            2011, não foi um ano positivo para o Ceará contra Rogério Ceni , foram mais vitórias tricolores do que alvinegras. No dia 19/06 pela 5° rodada, em uma tarde que Ceni pegou pênalti e Marlos e Lucas fizeram os gols da vitória por 2 x 0 para o Sâo Paulo.
                      Já no dia 10 de agosto, pela Copa Sulamericana, competição internacional, o Ceará venceu o São Paulo por 2 x 1. Para o vozão, Rudnei e Marcelo Nicácio e para o tricolor, Rivaldo.
           
            No Morumbi, no dia 24/08, o São Paulo bateu o Ceará por 3 x 0 e liquidou a fatura da Sul-americana gols de Lucas, Cicero e Dagoberto.
            
            O mar não estava para peixe o Ceará e no dia 17 de setembro, em mais um jogo no Morumbi, o Sâo Paulo de Ceni, não tomou conhecimento da equipe cearense e venceu por 4 x 0, gols de Rivaldo, Juan, Ivan Piris e Casemiro.
            
            E a última vez de Ceni como jogador em terras alencarinas foi pelas oitavas de final da Copa do Brasil de 2015, o técnico do São Paulo era Juan Carlos Osório, o técnico do Ceará Marcelo Cabo. Os gols da vitória de 3 x 0, na Arena Castelão foram de Alexandre Pato, Thiago Mendes e Rogério Ceni que fez seu último gol na carreira.
          
            14 jogos. Foram oito vitórias de Rogério Ceni, quatro derrotas e um empate.
            Logo no dia da apresentação de Rogério Ceni, como técnico do Fortaleza, o presidente Marcelo Paz fez questão de comparar a sua chegada igual a de Ronaldo no Coringão, que trouxe torcida e estrutura para o clube paulista, além de títulos.
              
            Rogério Ceni nasceu em Pato Branco (PR) em 1973 e seu clube de estréia foi o Sinop, onde jogou a juventude depois contratado pelo São Paulo. Foram 1238 jogos pelo tricolor paulista e 125 gols, pela seleção brasileira foram 18 partidas, a maioria no banco de reservas. Foi campeão matogrossense em 1990, pelo Sâo Paulo, foi campeão mundial de clubes da Fifa 2005, Libertadores 1993 e 2005, Copa Commebol 1994, três vezes campeão brasileiro 2006, 2007 e 2008. Na seleção brasileira venceu Copa das Confederações 1997 e Copa do Mundo 2002.
           
                          
            Narração e edição: Carlinhos Alves, agradecimento a sua audiência e sua sintonia, abraço.
           
           
Fonte:























quinta-feira, 16 de novembro de 2017

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

O Homem da Mala Preta

Listen to "O Homem da Mala Preta" on Spreaker.
            Bom dia, Boa tarde, Boa Noite, meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza, com mais uma edição do podcast, O Literato, com resenhas de livros, comentários sobre filmes e séries baseados em literatura escrita, além de entrevistas, de memórias culturais e histórias de músicas e poesias que marcaram todas as épocas.

            Todo mundo que ler muito, também escreve muito. Em 2005, um médico de profissão, Luiz Moura decidiu colocar nas bancas de livrarias cearense, um livro chamado: O Homem da Maleta Preta, “sátira mística e folclore médico”.  Com ilustrações de  Sinfrônio e publicação da Biblioteca de Ciências de Saúde – UFC, essa obra reúne contos, crônicas, teve apoio cultural da Monte Klinikum Hospital e foi uma parceria da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores – Regional do Ceará (Sobrames).
            A lida da medicina todo dia, leva o médico a todos os lugares do mais simples, ao mais chique, nesses ambientes o profissional da saúde se coloca no meio de várias situações, conhece o dia a dia do paciente, não só as doenças físicas, mas também em alguns casos as dores emocionais.
            No prefácio, Lúcio Alcântara que foi governador e senador do Ceará destaca bem do que se trata a obra. “Apesar de conter poemas e outros textos... é recheado principalmente por crônicas, que giram em torno de casos nos grandes hospitais públicos da capital, nos pequenos postos de saúde da periferia e nos consultório dos abnegados do interior”.
            Luiz Moura é médico cirurgião bariátrico, além de professor, trabalhou mais de 30 anos no Instituto José Frota e Santa Casa de Misericórdia.  Ganhou o prêmio Destaque Ensino Médico. Foram mais de 25 anos acompanhando mais de 700 acadêmicos e mais de 70 pós-graduados.  Pai de Mayra, Renan, Nayana e Régis, o médico também se dedicou a escrita. 
            Em destaque no livro, A mulher boa, página 91; Inveja página 145 e a Bicicleta página 174.
            Alguns livros foram feito para a leitura universal, outros para a leitura particular, familiar, alguns apenas para a compreensão do próprio autor. Na leitura de O Homem da mala Preta, pude ver uma mistura de linguajem simples e direta e fácil leitura com o uso de argumentos da profissão médica, podemos saber o que realmente o médico faz no dia a dia, algumas doenças que ele trata a diferença que ele faz na vida do paciente.
            Como obra literária ele ainda fica um pouco a desejar, mas se vermos pela ótica da vida e rotina do médico na sua lida pessoal e nos seus desafios na profissão encontramos nesses escritos algum mérito e uma linguagem em alguns momentos técnicas e em outras mais simples.
            O que significa realmente a mala preta? No futebol ela é um incentivo para um time ajudar a outro seja na conquista de um título, na fuga do rebaixamento em um mata mata, seria uma ajuda para o time A, perder para o time B, para beneficiar C, mas no caso desse livro que estamos comentando, a mala do médico, carrega estetoscópio e outros equipamentos de primeiros socorros para ajudar ao paciente em diversos casos, desde medição de pressão arterial, oscular os batimentos cardíacos.
            Nem sei se ainda tem algum exemplar desse livro a venda, eu comprei esse no Sebo do Geraldo, na rua: 24 de maio, no Centro de Fortaleza, lá encontro as relíquias literárias esquecidas.
Agradecimentos a toda audiência deste podcast. Edição e narração Carlinhos Alves, na busca por desbravar o mundo imaginário, às vezes real e duro e às vezes poético e belo, abraço e até uma próxima vez.

            

domingo, 12 de novembro de 2017

Floresta: Campeão da Copa Fares Lopes 2017


         
       Bom dia, Boa tarde, Boa noite! Meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza chegamos a sua casa, com o FutCearaCast. Um podcast que fala de futebol, futsal, futebol americano e rugby, de história, de notícias dos clubes, de entrevistas e demais curiosidades do futebol cearense em suas diversas modalidades.

           

      

       Quem viu o Floresta Esporte Clube se sagrar campeão da Copa Fares Lopes 2017, pode ter ficado surpreso, mas para os que acompanham de perto já sabiam do potencial da equipe do bairro da Vila Manoel Sátiro, fundado em 9 de novembro de 1954, mas que só estreou profissionalmente em 2015, na Série C Cearense.

            O ano de 2017 alias foi um ano bem movimentado, vice-campeão da Série B, vaga garantida na elite do futebol cearense para 2018, uma tragédia que quase abalou  a comemoração, da jovem equipe que estava em festa com o acesso quando soube que o goleiro de apenas 17 anos, Alisson Mateus fora assassinado com um tiro na cabeça em uma tentativa de assalto quando ia para o evento do clube. No dia 13 de maio de 2017.
            Antes de contar a história da campanha vencedora atual, vamos saber um pouquinho da história do clube.de 63 anos de existência. Foram praticamente seis décadas com a família Sátiro Dias a frente das atividades e consequentemente o amadorismo.
            Em 2014 pai e filho, Sérgio Teixeira e Diego assumiram o clube e trouxeram Kleber Lavor para comandar o futebol e levar ao sonhado acesso, o que aconteceu bem rápido.  Para realizar os sonhos foram construídos o Centro de Treinamento da Vila Manoel Sátiro, um espaço de 65 m2.
            Na primeira fase da Fares Lopes de 2017, o Floresta terminou com 10 pontos, com três vitórias e um empate.
            A estréia foi de goleada, com um placar elástico de 6 x 0 sobre o Itapipoca. A equipe do Raimundinho era formada por David, Rene Alves, Cláudio, Regineldo, Carlos André, José Carlos, Cássio, Gustavo, Felipe, Paulo Vyctor, Edson. A partir foi no dia 19 de agosto e se realizou no Estádio Presidente Vargas, gols de Regineldo, Cláudio, Neto (contra), Felipe (duas vezes) e Edson,
            Na segunda rodada, a equipe foi em Iguatu e não passou de um empate sem gols com o time da casa. Na rodada seguinte o clube da Vila Manoel Sátiro venceu por um placar mínimo o Guarani (J), gol de Edson. No dia 21 de setembro fora de casa, contra o Fortaleza, no Castelão a equipe venceu os leoninos por 2 x 0, gols de Felipe e Paulo Vyctor.
            O Leão que chegaria também a final e estava focado na Série C do Brasileirão mandou uma equipe mesclada com jogadores da base, alguns da equipe principal e mesmo jogadores contratados exclusivamente para o torneio.  O Fortaleza terminou em segundo lugar no. Grupo A: 1 com sete pontos, duas vitórias, um empate e uma derrota.
            O tricolor do Pici venceu na estréia o Iguatu por 2 x 1, gols de Alan e Denis. Depois empatou sem gols contra o Guarani (J), na sequencia venceu o Itapipoca no Junco por 4 x 2, gols de Tiago, Alan, Romário (2).
            Na fase seguinte, o Floresta perdeu a primeira partida de 1 x 0 para o Horizonte e depois no segundo jogo venceu 2 x 1, no dia 07 de outubro, gols de Edson e Rene.
            Já o Fortaleza teve uma batalha mais difícil pegou seu maior rival em dois Clássicos Reis, primeiro um jogo de 1 x 1, gol de Felipe Menezes no Ceará e Ronny pelo Fortaleza.
         
            O Ceará estava focado na Série B e mandou a campo jogadores que não estavam sendo aproveitados na equipe principal e o técnico era Daniel Azambuja.
            No jogo de volta o Leão, no dia 11 de outubro, venceu o vozão por 2 x 1 e avançou para a fase seguinte. Os gols foram de Vinicius Pacheco e Paulo Sérgio para o Fortaleza e Arthur para o Ceará.
         
            Nas semi-finais, o Leão eliminou o Iguatu com dois empates, 1 x 1 e 2 x 2. Já o Floresta venceu por 4 x 2 o Guarani (J) fora de casa e depois perdeu em casa de 2 x 1.
         
            Os gols dessa vitória da equipe da capital alencarina foram de José Carlos, Felipe (2) e Otacílio.
            Na grande final o favorito era claro o Leão do técnico Daniel Frasson, com jogadores remanescentes da Série C que o Fortaleza conseguiu o acesso.
            O reforço do Leão veio no gol, Marcelo Boeck e a primeira partida ficou em 1 x 1, com gols de Rene para o Floresta e Leandro Cearense para o Fortaleza.
            
            O grande jogo entrou para a história do Floresta aconteceu na Arena Castelão, no dia 04 de novembro de 2017. O Floresta veio a campo, com David, Rene Alves, Regineldo, Cláudio, Carlos André, José Carlos, Bruno Ocara, Felipe, Otacílio Neto, Paulo Vyctor e Edson Cariús. O Fortaleza foi escalado com Marcelo Boeck, Luis Antonio, Ligger, Bruno, Uchoa, Danilo Silva, Ronny, Hiago, Leandro Cearense e Pablo.
            O jogou acabou repetindo o placar do primeiro jogo, gols de Pablo para o Fortaleza e Edson Caríus para o Floresta. Festa para 2279 pagantes.
                      
            O prejuízo foi para o tricolor do Pici, pois perdeu agenda na competição nacional. Já o Floresta está na Copa do Brasil pela primeira vez.
                          
            Narração e edição: Carlinhos Alves, agradecimento a sua audiência e sua sintonia, abraço.
           
           
Fonte:












sábado, 4 de novembro de 2017

Copa Fares Lopes: (2010-2016)


         
       Bom dia, Boa tarde, Boa noite! Meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza chegamos a sua casa, com o FutCearaCast. Um podcast que fala de futebol, futsal, futebol americano e rugby, de história, de notícias dos clubes, de entrevistas e demais curiosidades do futebol cearense em suas diversas modalidades.

           

      
       Em procura de criar um calendário para o futebol cearense no segundo semestre, a Federação Cearense de Futebol (FCF), criou a Copa Fares Lopes, com intuito também de dar uma vaga a Copa do Brasil, o torneio nessas edições foram ganhos apenas por equipes do interior, até porque os grandes da capital, Ceará e Fortaleza geralmente não tem interesse no torneio e sempre mandaram equipes sub-20, ou alguns reservas, ou nem participaram muitas vezes. Hoje vamos saber mais sobre esses campeões.

            O primeiro ano da Copa Fares Lopes, foi em 2010 e se chamava ainda Copa Unimed Fortaleza, devido ao patrocinador. Foram 12 equipes que jogaram em três grupos de quatro equipes cada. O torneio se realizou de 18 de agosto a 24 de novembro e teve 128 gols em 50 partidas, uma média de 2,56 gols por partida. O artilheiro foi Carlos Alberto (Guarany de Sobral) e Cleiton (Tiradentes), com 5 gols cada. O Tiradentes teve o melhor ataque com 14 gols e também a melhor defesa que tomou apenas 2 gols e a maior goleada também foi do Tigre da PM, 7 x 0 sobre o Caucaia.

            Na fase de grupo, o Tiradentes liderou o Grupo A, com destaques além dessa goleada, para um 3 x 1 sobre o Ceará.  No Grupo B, o Icasa liderou com 14 pontos e fez 4 x 1 no Boa Viagem com gols de Juba, Sérgio, Marcelo Mineiro e Júnior.e 2 x 0 sobre o Guarani de Juazeiro, gols de Carlinhos e Marciano.
            No Grupo C, o Itapipoca saiu na frente com nove pontos e destaque para a vitória de 2 x 1 sobre o Ferroviário, com gols de Serginho e Lazaro.
            Nas quartas de finais, o Horizonte venceu o confronto contra o Guarani de Juazeiro, o Ferroviário derrotou o Itapipoca; o Icasa eliminou o Guarany de Sobral e o Tiradentes venceu o Limoeiro. Na fase seguinte, o Ferrim com duas derrotas foi eliminado diante do Horizonte e o Icasa não tomou conhecimento do Tigre com duas vitórias soberbas.
            Na grande final o Horizonte venceu a primeira por 2 x 0, na segunda partida deu 3 x 1 Icasa e no final o Horizonte seria campeão e a vaga na Copa do Brasil.
            Em 2011, apenas oito equipes entraram no torneio e se dividiram em três grupos de três cada, com dois classificados por grupo e se dividindo na segunda fase com mais dois grupos de três, que daria duas vagas cada para a semi-final. A competição se realizou de 02 de agosto  a 12 de outubro, com 103 gols em 36 partidas, André Cassaco do Horizonte foi o artilheiro com 8 gols. Um público total de 17.573 e a média por jogo de 532,5 pessoas.
            Ceará, Tiradentes e Itapipoca saíram da competição e foram punidos com a exclusão de um ano do torneio. O Horizonte liderou o Grupo A com 9 pontos e destaque para a vitória de 1 x 0 sobre o Fortaleza, gol s de André Cassaco. No Grupo B, O Icasa com sete pontos foi o líder e venceu o Limoeiro duas vezes pelo mesmo placar de 3 x 0 com gols de João Neto, David, Luiz Ricardo, Diogo França, Almir e Fábio Lima. No Grupo C, Guarany de Sobral com 9 pontos venceu de forma semelhante o Itapipoca duas vezes por 3 x 0, por W.O, mas o destaque em campo foi o êxito contra o Ferroviário, gols de Niel (2) e Rafael.
            Nas semi-finais, o Horizonte venceu duas vez por 5 x 0, o Maranguape. Já o Guarani de Juazeiro perdeu de 2 x 1 para o Guarany de Sobral e depois venceu de 3 x 2 e se classificou para a final. Mas uma vez o Horizonte seria campeão, dessa vez com um empate por 1 x 1 e uma vitória de 4 x 2.
            No ano seguinte 2012, a 11 equipes se dividiram em três grupos. O Grupo A e B com três equipes cada e duas vagas cada para a fase seguinte o Grupo C, cinco equipes e três vagas. O Guarany de Sobral fez 12 pontos e sobrou indo direto para as semi-finais. Horizonte liderou o Grupo B e Icasa o Grupo C. Como Juazeiro, Barbalha e Fortaleza desistiram no meio da competição ficaram apenas oito times no torneio.
            No mata-mata, Horizonte venceu duas vezes o Maranguape 2 x 0. O Guarani de Juazeiro derrotou o Crato também duas vezes, 1 x 0 e 2 x 0 e o Icasa fez 3 x 1 e 1 x 0 sobre o Ferroviário. Nas semi-finais duas vitórias do Horizonte por 2 x 0 sobre o Guarany de Sobral e o Guarani de Juazeiro derrotou seu maior rival o Icasa após empatar dois jogos 1 x 1 e 2 x 2.
            Na final, o primeiro jogo saiu 1 x 1, mas no jogo decisivo o Guarani de Juazeiro não tomou conhecimento do rival e aplicou 4 x 0.
            O jogo foi no dia 30 de setembro de 2012, no Romeirão para 1.225 pagantes. De um lado o Guaraju, treinado por Alencar Mota foi escalado com Fábio, Roberto Baiano, Tony Belém, Marcelo Mineiro          , Panda, Guídio, Ramon, Djalma, Lama (Renato Frota), Niel (Narciso) e Paulo Ferreira (Jr Juazeiro), já o Horizonte do treinador Roberto Carlos foi a campo com Mondragon, Dedé, Douglas, Cleiton, Jonnhy, Válter, Albano (Márcio Tarrafas), Elanardo (Clodoaldo), Stênio Júnior, Maciel (Carlos Alberto).

            Os gols foram de Lamar, Niel, Júnior Juazeiro e Guídio, com o título o Guarani de Juazeiro garantiu vaga na Copa do Brasil do ano seguinte.
            Já em 2013, 14 clubes entres o dias 12 de setembro e 9 de novembro jogaram em três grupos de cinco cada com a classificação de três equipes de cada grupo para a segunda fase, que seria já o mata-mata.  O Caucaia acabou desistindo.
            No Grupo A, Ferroviário liderou com sete pontos; no Grupo B, quem saiu em primeiro foi o Guarany de Sobral com 12 pontos e no Grupo C, o Barbalha levou a melhor com12 pontos.
            No mata-mata, o Maranguape atropelou o Maguary, 5 x 1 e 4 x 0; o Barbalha venceu o Uniclinic duas vezes, 1 x 0 e 2 x 1; o Guarany de Sobral venceu por 1 x 0 e empatou 1 x 1 com o Ferroviário e o Icasa ganhou duas vezes do Tiradentes por 3 x 0*. (W.O)
            Nas semi-finais, o Barbalha venceu 4 x 3 e 4 x 0 o Maranguape e o Guarany de Sobral ganhou de 2 x 1 e 3 x 2 do Icasa.
            Na grande final, o Guarany de Sobral venceu a primeira partida por 2 x 1 e perdeu a segunda por 2 x 1 com o titulo ficando com o Barbalha.

           

           

            No ano de 2014, entres os dias13 agosto e 12 de novembro, 12 equipes participaram de mais uma edição da Copa Fares Lopes, com 129 gols em 54 partidas. O São Benedito teve a melhor defesa e aplicou a maior goleada também 5 x 2 no Ceará. Horizonte foi o melhor do Grupo A, São Benedito, o melhor do Grupo B e Icasa o melhor do Grupo C.

            Nas quartas de finais o Guarany de Sobral perdeu de 1 x 0 para o Ferroviário, mas ganhou a segunda de 2 x 1 e se classificou as semi-finais. Do mesmo jeito o Icasa fez diante do Iguatu. O Ceará que venceu a primeira contra o São Benedito perdeu a segunda de goleada. O Tigre da PM, com dois empates 1 x 1 e 0 x 0 levou a melhor diante do Horizonte.

            Nas semi o Icasa venceu o Ferroviário duas vezes 1 x 0 e 2 x 0. O Tiradentes venceu 2 x 0 e 3 x 1 a melhor equipe da competição na classificação geral o São Benedito com 14 pontos. Na final primeiro o Tiradentes venceu por 2 x 1 o Icasa e no segundo jogo, o Icasa venceu de 2 x 0 e se sagrou campeão. Com gols de Naylhor e Dodo

     

           

            Na sexta edição em 2015, 10 equipes, disputaram entre os dias 26 de agosto 29 de novembro mais um titulo e uma vaga na Copa do Brasil. Dois grupos de cinco cada se enfrentaram classificando-se quatro de cada para o mata-mata. No Grupo A, o líder foi o Iguatu com 14 pontos, no Grupo B, foi o Tiradentes com 15 pontos.

            Nas quartas-de-finais, o Iguatu derrotou o Ceará, 2 x 0 e 1 x 0. O Guarani de Juazeiro venceu 3 x 1 e empatou 3 x 3 com o Ferroviário; o Guarany de Sobral venceu o Fortaleza duas vezes por 3 x 0. O Alto Santo venceu uma por 1 x 0 e perdeu por  2 x 1 para o Tiradentes, mas se classificou nos pênaltis. Nas semi-finais o Guarani de Juazeiro ganhou duas vezes do Iguatu, 3 x 0 e 2 x 1. O Guarany de Sobral para chegar a final empatou uma de 1 x 1 e venceu outra de 2 x 1 sobre o Alto Santo.

            Na final de Guaranis, deu a melhor para o Guarasol. 2 x 1.

           

 

            E finalmente em 2016, 10 participantes, 69 gols, 32 partidas, entre os dias 07 de agosto e 22 de outubro disputaram a sétima edição da Copa Fares Lopes. No Grupo A com cinco equipes, o Guarany de Sobral levou a melhor com oito pontos, no Grupo B, Alto Santos com 12 pontos e no Grupo C Guarani de Juazeiro com 9 pontos foram os melhores da primeira fase.

            No mata-mata, Floresta venceu 3 x 1 o Alto Santo e perdeu de 2 x 0, mas se classificou pelo gol fora de casa. O Horizonte atropelou o Esporte Limoeiro 3 x 1 e 6 x 0. O Crato eliminou o Guarany de Sobral com 3 x 0 e 1 x 0.  Finalmente o Guarani de Juazeiro venceu o Leão do Pici, por 1 x 0 e 3 x 1.

            Na grande final duas figuras já vencedoras da Fares Lopes, Horizonte e Guarani de Juazeiro. No primeiro jogo 2 x 1 Guarani e no segundo o empate 1 x 1 titulo do Guaraju.

       

 

.           Como você pode ver pelo nome o torneio é uma homenagem a Fares Cândido Lopes, que faleceu em 2004, com 70 anos ainda como presidente da FCF. Ele era de Óros, era um comerciante que começou no futebol de salão como dirigente e depois no futebol de campo, como duas vezes presidente do Fortaleza. Ele era irmão do cantor Fagner, também torcedor do Leão de Aço.

                                  

            Narração e edição: Carlinhos Alves, agradecimento a sua audiência e sua sintonia, abraço.
           
           
Fonte:


















quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Love (1° e 2° temporada)

Listen to "Love (Primeira e Segunda Temporada)" on Spreaker.
            Bom dia, Boa tarde, Boa Noite, meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza, com mais uma edição do podcast, O Literato, com resenhas de livros, comentários sobre filmes e séries baseados em literatura escrita, além de entrevistas, de memórias culturais e histórias de músicas e poesias que marcaram todas as épocas.
            Um dia você acorda e o mundo mudou, ou foi apenas você que experimentou algo diferente? Relacionamentos, começos, meios e fins. Decepção, reconciliação, aprendizado, diversas formas de amor. Foram 22 episódios que passaram como um flash na minha vida, duas temporadas de uma série, original Netflix, Love de Jud Apatow, um comediante, produtor, diretor e roteirista, tem filmes sempre nesse estilo de humor de comportamento, como Virgem aos 40, Ligeiramente Grávido.
            Como podemos notar esse diretor já é figurinha experiente neste estilo de comedia romântica “fora da caixa”. Eu demorei a ver essa série, mas quando comecei foi uma maratona, de um episódio após o outro sem parar. Eu quando vi já estava terminando de assistir todo o conteúdo disponível.

            Mas do que se trata a série você deve ter entrado aqui neste podcast para saber isso né? Bem, são duas pessoas que se encontram quando seus relacionamentos anteriores estão no fim. Basicamente a carência uniu essas duas pessoas. Que pessoas ne? Gus (Paul Rust: como o diretor também é comediante e concerteza sua colaboração no roteiro, tem um efeito bem notado nos diálogos dos personagens). Ele faz um professor particular para atores que não tem tempo de irem à escola. Um homem já com mais de 30 anos e que mora sozinho e tem um jeito geek, nerd de ser, você pode notar isso pelos seus amigos e as reuniões semanais de composição de músicas letras tema de final de filme.
            A outra personagem que contracena e faz um par romântico com ele é Mickey Dobbs (Gillian Jacobs: conhecida por outros trabalhos como em Yahoo! Screen, Community, da NBC e outras séries como Fringe, Law and Order e Procura-se um amigo para o fim do mundo). Ela trabalha como gerente de uma estação de rádio e é uma mulher altamente conturbada em seus relacionamentos e não sabe bem o que realmente quer da vida.
            Já se ouve muito por ai na vida que os opostos se atraem e em alguns casos podem notar que é verdade, como em Love. Deu uma certa depre, ao ver alguns acontecimentos em relação a eles dois, mas podemos parabenizar o roteiro que não se preocupar em fantasiar uma falsa realidade, mas que trás digamos  vida como ela realmente é, as pessoas com seus defeitos e qualidades.
            Outros personagens em volta dos principais dão uma vida a mais na estória, como Bertie, amiga de Mickey e seu chefe o Dr. Greg Colter.
             Em alguns momentos no inicio dessa série você fica com certa raiva de Gus, mas depois nos últimos episódios na segunda temporada, já ficamos com raiva de Mickey. Se formos assistir essa série com o desejo de julgar comportamentos não iremos se divertir para valer, pois a gente só consegue realmente curtir quando a gente entender que pessoas são sujeitas as falhas e ao aprendizado. Pense numa pessoa temperamental a Mickey e às vezes o Gus, com seu jeitinho nerd, humilde às vezes fica chato e insistente em algumas situações.
             Love nos mergulha em sentimentos bons e ruins, mas nos trás lições e aprendizados importantes. Não podemos controlar os acontecimentos dos nossos relacionamentos.                                    
            Agradecimentos a toda audiência deste podcast. Edição e narração Carlinhos Alves, na busca por desbravar o mundo imaginário, às vezes real e duro e às vezes poético e belo, abraço e até uma próxima vez.

            

domingo, 29 de outubro de 2017

Finalmente o acesso do Fortaleza, junto com o vice da Série C


         
       Bom dia, Boa tarde, Boa noite! Meu nome é Carlinhos Alves, direto de Fortaleza chegamos a sua casa, com o FutCearaCast. Um podcast que fala de futebol, futsal, futebol americano e rugby, de história, de notícias dos clubes, de entrevistas e demais curiosidades do futebol cearense em suas diversas modalidades.

           

      
Granjeiro (no centro)
       O dia era 22 de janeiro de 2017, O Fortaleza comandado por Hemerson Maria derrotaria seu maior rival em um Clássico Rei por 1 x 0, gol de Gabriel Pereira, aos 21 minutos do segundo tempo, depois desse jogo muita água rolou debaixo da ponte tricolor. Diretoria mudou saiu Jorge Mota que não conseguiu nem chegar à final do Cearense, que renunciou no dia 02 de maio e assumiu Luis Eduardo Granjeiro Girão, que estava na Florida (EUA). No comando técnico entrou Paulo Bonamigo.

            Seria mais um ano de decepção? Depois de bater na trave sete vezes, o tricolor do Pici daria a volta por cima? Está história você começa a acompanhar agora no FutCearaCast.  O Fortaleza estreou perdendo de 1 x 0 para o Remo, no dia 13/05, no Mangueirão, depois na segunda rodada diante do Botafogo (PB) venceu sua primeira partida de 1 x 0, gol de Hiago, aos 25° do segundo tempo.
            Na terceira rodada, o Leão continuou bem e venceu fora de casa, o Salgueiro (PE), 2 x 1, com gols de Everton e Pablo. Na quarta rodada, o tricolor não tomou conhecimento do ASA, 3 x 0, gols de Lúcio Flávio, Jô e Leandro Cearense. Na quinta rodada, o empate de 2 x 2 com o Cuiabá, na sexta rodada nova goleada, 3 x 0 contra o Sampaio Correa (MA), gols de Pedro Carmona, Lúcio Flávio (2).
            A partir da sétima rodada o Leão começa a cair de produção e perde fora de casa de 1 x 0 para o CSA, depois empata em casa com o Confiança (SE), e perde para o Moto Clube, no Maranhão por 1 x 0 e empate de novo em casa dessa vez com o Remo (PA). Na 11° rodada, um alivio a vitória contra o Botafogo (PB) fora de casa por 2 x 0, gols de Bruno Melo. A sequencia de vitórias continuou e o Fortaleza venceu o Salgueiro de novo, agora de 1 x 0, gol de Lúcio Flávio. Na 13° rodada, o Leão ficou no 1 x 1 com o ASA fora de casa, depois novo empate em 1 x 1 com o Cuiabá.
            No dia 19 de agosto, após três meses como técnico do Fortaleza Bonamigo é demitido após perder no Castelão por 2 x 0 para o Sampaio Correa (MA).
            Um dia depois o Antônio Carlos Zago é anunciado como novo treinador do Fortaleza.  Na 16° rodada, o Fortaleza empata com o CSA em casa por 1 x 1 e depois perde fora de casa, para o Confiança (SE) 2 x 0.

            Tensão e atenção para última rodada, diante de uma Arena Castelão parcialmente cheia o Fortaleza teria que vencer o Moto Clube (MA) para se classificar para segunda fase sem depender de outros resultados. 32 mil pessoas viram um jogo bem disputado.  O clube cearense comandado por Zago jogou com Marcelo Boeck, Felipe, Edimar (Mancha), Ligger e Bruno Melo, Anderson Uchoa, Pablo, Leandro Lima e Éverton (Ronny), Lúcio Flávio (Paulo Sèrgio) e Hiago. Quis o destino que o filho do ex-lateral do tricolor o Caetano fizesse o gol que garantiu vencer uma primeira decisão em busca do acesso.

           

           

            Pela primeira vez, o tricolor cearense decidiria a vaga fora de casa.  Primeiro diante de mais de 40 mil pessoas no dia 16        de setembro na Arena Castelão o Leão venceu por 2 x 0, o Tupi (MG), gols de Leandro Lima e Bruno Melo.

         

 

            No jogo de volta com o regulamento debaixo do braço o Leão foi para o jogo do século e se fechou atrás deixando o time mineiro a iniciativa de atacar. Até saiu o gol mineiro, Fernando aos 36° do segundo tempo, mas 0 placar de 1 x 0 adverso deu o tão sonhado acesso do Leão. A equipe leonina entrou em campo com Marcelo Boeck;Felipe, Adalberto, Ligger e Bruno Melo;Anderson Uchôa, Pablo, Leandro Lima (Edimar) e Everton (Jô);Hiago e Lúcio Flávio (Leandro Cearense).

           

           

            Depois foi só festa, o Fortaleza ainda tentou o título, venceu o Sampaio Correa de 1 x 0 e depois empatou fora de 2 x 2 e garantiu vaga na final, mas acabou sendo derrotado para o CSA de 2 x 1 em casa e um 0 x 0 fora deu o titulo a equipe alagoana comandada pelo cearense Flávio Araujo tema para um próximo programa. Zago foi embora e o presidente também, mas o Leão vice da  Série C, agora é membro da Série B.


 

           

 

           

                       

                                  

            Narração e edição: Carlinhos Alves, agradecimento a sua audiência e sua sintonia, abraço.
           
           
Fonte: